22 de outubro de 2008

Tributo

No ano que marca os 20 anos sobre a sua morte, Carlos Paião vê nascer o seu merecido tributo. Entre as bandas convidadas encontram-se nomes como Tiago Bettencourt, Donna Maria, M.A.U., Balla, Loto, Mesa, The Vicious Five e Sam the Kid, entre outros.Bem, mas melhor mesmo é espreitar o alinhamento:

  • 01 Rui Veloso - «Cinderela»
  • 02 Tiago Bettencourt - «Pó de Arroz»
  • 03 Donna Maria - «Vinho do Porto»
  • 04 Filipa Cardoso & Fábia Rebordão - «Cegonha»
  • 05 Polo Norte - «Eu Não Sou Poeta»
  • 06 Perfume - Versos de Amor»
  • 07 M.A.U. - «Ga-Gago»
  • 08 Mesa - «O Senhor Extra-Terrestre»
  • 09 Loto - «Telefonia nas Ondas do Ar»
  • 10 Balla - «Não Há Duas sem Três»
  • 11 Sam The Kid «Playback (Instrumental)»
  • 12 4Taste - «Playback»
  • 13 OIOAI - «Discoteca»
  • 14 Vicious Five - «Zero a Zero»

Deste títulos, ainda só ouvi a "Cinderela" e o "Pó de arroz". Principalmente esta segunda está linda linda linda de morrer. Adoro a voz do Tiago Bettencourt e aqui encaixou que nem uma luva. Está fantástica esta versão. Sussurrada... arrepiante! Passa algumas vezes por dia na Antena 3, normalmente sempre quando eu estou mesmo mesmo a precisar de ouvir uma música bonita para me acalmar. Estava a pensar pedir este cd no Natal, mas acho que vou ter de comprar antes disso...

Para ouvir, no original, aqui .

5 comentários:

Verónica disse...

Tributo mais que merecido. Um compositor e cantor de excelência.

Ianita disse...

Eu sei que estou a pôr a fasquia alta e que, provavelmente, quando ouvires nem vais gostar assim tanto, mas está tão linda tão linda tão linda... de ir às lágrimas de tão linda!

Kiss

PAULO LONTRO disse...

Esse homem escrevia para meio mundo, a maioria das pessoas (eu também, claro)nunca vê quem escreve as letras ...
Merecido sim !!

u João disse...

Olá Ana!De facto o Carlos Paião trouxe na altura, qualidade, principalmente às letras da música mais popular,há quem ainda o encaixe no pimba, o que é uma enorme injustiça.
Confesso que não sou grande apreciador, se dissesse o contrário tava a mentir, mas não deixo de reconhecer, a inégavel qualidade das letras, do jogo de palavras, acompanhadas com ritmos muito apelativos.O Herman, deve em parte, o seu êxito discografico, à invulgar forma de escrever do Carlos Paião.
Acho que a evocação, que se está a fazer, da obra dele, é bem merecida.
beijo

Ianita disse...

Paulo: Já eu sou uma pessoa de palavras... posso nem sempre saber quem escreveu, mas o que me agarra a uma música são as palavras.

João: O Carlos Paião faz parte do meu imaginário infantil... foi quando ele morreu que eu descobri que a televisão não se fazia em directo... (porque apareceu no programa de desenhos animados de Sábado de manhã duas semanas depois de ter morrido). A Cinderela foi das primeiras canções que aprendi a cantar de cor... gosto muito. "A Canção do beijinho", popularizada pelo Herman, é uma delícia. :) E a verdade é que ele fala sempre no nome dele (nem outra coisa seria de esperar!).

Temos e tivemos grandes letristas. José Carlos Ary dos Santos, em tempos de Ditadura, foi, para mim, o melhor. Temos o Paião, mas também o Carlos T., por exemplo. E ultimamente ando numa de Tiago Bettencourt que, para além das músicas, tem letras lindíssimas. Mesmo. :)

Kisses