1 de fevereiro de 2009

Da mística

Ninguém sabe o porquê de ser de determinado clube. A verdade é que não tem nada que ver com resultados nem com conquistas. Um momento marcante, herança familiar, whatever… mas não é uma escolha.

O clubismo é um fenómeno inexplicável. Os portistas, que aumentaram de número significativamente nas últimas duas décadas, ao sabor dos bons resultados, costumam dizer que o clube deles é melhor porque tem bons resultados agora, dizem que é uma equipa feita de presente e não de passado. Concordo que seja uma equipa de passado recente. Mas duvido que, se não ganhassem nada nos próximos vinte anos, as pessoas que hoje são portistas o deixassem de ser só por não ganharem troféus. Precisamente porque o clubismo não tem nada que ver com vitórias. Não se explica, sente-se. Pode-se mudar de muita coisa ao longo da vida: namorados, emprego, religião até, mas de clube não se muda nunca!

Ainda há uma semana o sr. Presidente do Porto andava empedernido com a questão dos 6 milhões de benfiquistas. Não sei se somos seis milhões. Nunca contei. A verdade é que o Benfica pode não ser o melhor clube do Mundo, e até pode nem ser o melhor clube português (isso pouco importa), a verdade é que é o clube com mais adeptos. E disso eu não admito que se duvide.

O motivo desta reflexão a esta hora do dia ou da noite, depende do ponto de vista, não se prende com a recente vitória do Benfica. Sinceramente, não. Não sou assim tão fervorosa. Gosto quando ganha. Vibro nos grandes jogos, mas não vejo a maioria deles.

Hoje. Hoje chorei. Chorei num jogo de futebol. Inédito mesmo para esta chorona aqui.

Em primeiro lugar, num dia de chuva torrencial, com o jogo em transmissão directa em canal aberto, estavam 21 mil pessoas no Estádio. Eu não teria ido. Prefiro o conforto do meu sofá. Mas que belo dia teria sido para estar ali. Ali quando Mantorras entra. Entra em jogo pela primeira vez em toda a época. Há muito tempo eu não ouvia uma ovação assim… talvez há menos de um ano, na despedida do Rui Costa. E quatro minutos. Quatro minutos depois, ele marca um golo. Nesse momento emocionei-me. Não pelo golo em si, pela vitória que viria a significar, mas pela outra vitória, a da persistência, a da humildade, a da confiança e a do amor.

É isto que nenhum outro clube português tem. E que até o Rui Costa voltar ao Benfica, nós não tínhamos também. A mística. Foi isso que encheu o estádio quando o Benfica ia acabar a época em 4º lugar. 4º lugar e o estádio encheu para aplaudir um jogador. E hoje… as 21 mil pessoas que foram a este jogo viram Mantorras saltar do banco e marcar um golo. Ele é o Benfica. Como é o Rui Costa. Como é o Eusébio. É isto que os outros não têm. Não foi isto que me fez benfiquista, mas estou muito contente por ser este o meu clube. É que o futebol não tem nada que ver com resultados. E é tão bom!

12 comentários:

bono_poetry disse...

...tipo tu es muita fofinha senao eu virava este post do avesso...mas ok...eu tambem sou adepto destes momentos e o sporting tem um espaco muito importante no meu pequeno peito!!!e admiro o Pedro mantorras ha uns anos...este jovem que ja nao e o menino que chegou a luz continua com o seu acreditar a dar alegrias a grande massa popular do benfica..porque e verdade o benfica so e grande pela gente que o acompanha ...assim como o sporting e o porto!!!que o teu benfica seja sempre o segundo classificado!!!e que noa acompanhe nas nossas grandes vitorias nas finais de taca...e que nunca se envergonhem de estar pertinho de nos....=hehehe

Ianita disse...

Não conseguirias virá-lo do avesso. Até porque o que disseste (aparte das baboseiras sportinguistas) vai ao encontro do que eu queria dizer.

Ser de um clube é algo de visceral. Eu sei que tu vais ser sempre do Sporting e tu sabes que eu vou ser sempre do Benfica. Isto não se muda!

E, mesmo sportinguista, tens de admitir que o Benfica tem algo de diferente. O Figo não fez o que fez o Rui Costa. Nem o Figo, nem ninguém. Nem há nenhum clube que tenha esta mística.

Quanto aos resultados... Um dia é para uns, outro dia é para outros. Gosto de ganhar, mas gosto mais de desporto.

Kisses

Jorge Rita disse...

Bom, não tenho assim nada a acrescentar. Está aqui tudo. Eu "combato"o clubismo encarando o jogo apenas como isso, um jogo. Há muito mais para além do futebol e da importancia que lhe queiramos dar. O contracenso está precisamente aqui. É que nada nos faz mudar de clube (e a importancia que isso tem)...é. de facto o Benfica é a mística. Por cá comparável só os Adeptos do Vitoria de Guimaraes.
Bela escrita Ianita!
(eu sou do SCBraga por paixão. Tenho costela vermelha do Benfica e tenho um outro clube que é o de todas as equipas que jogam contra o Porto. É a minha mistica)

Ianita disse...

Não é racional...se fosse, bastava a nossa equipa perder um campeonato e mudaríamos imediatamente de clube. Não o fazemos.

Há qualquer coisa de inexplicável que rodeia tudo isto... e que faz com que o futebol seja apenas um jogo e, ao mesmo tempo, o faz muito muito mais que isso.

A mística. Cada um terá a sua. Eu vi a minha naquele estádio cheio, depois de uma época desastrosa. E vi-a ontem outra vez.

Acho mesmo que o que se passou ontem no Estádio da Luz não foi indiferente à maioria... benfiquistas e não benfiquistas.

Kisses

IandU disse...

Não irei dizer mais nada.

Fiquei só a ler. E a acenar com a cabeça.

Está tudo dito! ;)

LP disse...

Revi-me no teu post. Ontem não festejei uma possível vitória do Benfica, festejei sim O golo do Mantorras, O do nosso Mantorras, no fundo, O golo do 'povo'.

Sinceramente, e em jeito de picardia ao comentário do Bono, sempre achei que o Porto e o Sporting (mas mais o Porto devido ao pinto da costa), sempre quiseram ganhar, não para se superarem a si próprios, mas para mostrarem ao grande e glorioso Benfica que foram melhores, ou ficaram à frente.

E é por isso que seremos sempre maiores, pois não precisamos de mostrar nada a ninguém. Nós somos o Benfica e ponto. Os outros são os que sempre nos quiseram, querem e quererão ultrapassar.

Beijinhos e desculpa a extensão do comentário, mas gosto particularmente deste tema!

Dylan disse...

Um pequeno reparo: chamar "senhor" ao presidente do FCP é um grande elogio. Quem trata mal os benfiquistas como ele merece nomes bem piores, ou melhor, merece total desprezo!

Ianita disse...

Iandu: Saiu do coração...

Ianita disse...

LP: Desculpo concerteza... logo eu que escrevo sempre tanto :)

Mas sim, tens razão. Nós não temos de provar nada a ninguém. Somos o Benfica e pronto. Isso chega... Prova disso é que o hino que a claque do Porto canta quando marca um golo é um hino de ataque ao Benfica. Mesmo quando a equipa a quem marcam o golo não é o Benfica. Mesmo nas competições europeias, é ouvi-los a cantar não um louvor ao seu clube, mas um ataque ao Benfica... Por isso é que gosto menos do Porto que do Sporting...

Kisses

Ianita disse...

Dylan: Eu não uso as mesmas armas baixas. Eu sou eu. E eu sou uma pessoa educada. Não chamo nomes.

Discuto, defendo o meu ponto de vista até à morte, mas com argumentos... com inteligência... com sentimento... nunca com insultos. Eles querem insultar? Deixem-nos. O insulto diz pior da pessoa que o profere do que de quem é supostamente insultado.

Kisses

disse...

É saudável quando o que de mais intenso se sente por um clube, não é a ansia de vencer sempre ou a "raiva" para com os rivais, mas simplesmente, amor

Ianita disse...

Isso... Isso mesmo, sem tirar nem pôr... :)