9 de março de 2009

Tesourinho deprimente

Sem mais delongas, aqui vai ele...

" 16 de Maio de 1991
Querido Diário:
Interrompo-te a história* porque acaba hoje (infelizmente) a telenovela de que eu mais gosto e gostarei por toda a minha vida:
Tieta!
Vou-te contar como foi: é a história de uma rapariga que é escurraçada de Santana do Agreste e que passados vinte anos ela volta para se vingar. Mas a história dá tantas voltas que ela acaba por se apaixonar mais por Santana do Agreste.
A vinda dela vai dar felicidade a muita gente, muita muita muita gente querido diário, muita mesmo.
Personagens da novela:
  1. Tieta (Betty Faria , 1ª principal)
  2. Ascânio (Reginaldo Faria, 2º principal)
  3. Tonha (Yoná Magalhães, 3ª principal)
  4. Jairo (Elias Gleiser)
  5. Maria Imaculada (Juliana Braga)
  6. Perpétua (Joana Froom)
  7. Leonora (namorada do Ascânio)"

Isto continua, mas achei por bem deixar aqui só este excerto de tesourinho deprimente. Sem edição, sem correcções... desculpem os erros gramaticais e sintácticos, mas era assim o reino de Ianita aos 11 anos. Os meus diários enchem-me de vergonha, mas não consigo ver-me livre deles. Fazem parte de mim e fazem-me lembrar de muitas coisas que já esqueci... fazem-me olhar para trás, para mim, para quem era e para quem queria ser. Aquele asterisco lá em cima era para explicar que aqui a je inventava histórias e as escrevia no diário. Coisas de miúda. Mas até gosto de ver que mesmo em tenra idade já pensava em metáforas e já via sentidos para lá do sentido primeiro, mesmo em algo tão básico como uma novela. E sim, eu gostava de novelas e gosto ainda. Mas das boas, dos novelões, tipo as novelas do Manoel Carlos, Por amor ou Páginas da vida. Ou o Clone... A próxima vítima... Roque Santeiro... novelas que nos prendiam ao ecrã.... Deixo aqui para a posteridade, o genérico de Tieta do Agreste, aquela que seria a minha novela preferida de todos os tempos. LOL (viram como é perigoso dizermos coisas destas? Falar em toda a vida, quando temos ainda tanta vida pela frente e não sabemos o que aí vem?)





(e ficaram alguns pregões da novela... lembro-me do "Timóteo!!" e da mulher de branco... e da tadita da Perpétua que guardava o "marido" num frasco de vidro! Muito bom...)

26 comentários:

Brigitte disse...

Adorei....
Eu tb tenho lá em casa, bem escondidos 2 diários, que leio muito de vez enquando, farto-me de rir, mas são as nossas historias, a nossa vida da altura, a forma como via um mundo que hoje se vê de forma diferente!!!!

Uma beijoca e boa semana
:)

Ianita disse...

Brigitte: este foi o primeiro... e a meio começa já a estar inundado de suspiros de amor e de rapazes que são os mais lindos e de amor que nunca mais se vai sentir LOL Depois deste tenho ainda pelo menos mais uns 5... mas o que gosto é de ler as coisas da idade de inocência... quando tudo se resumia a brincadeira e a telenovelas... antes das complicações do amor :)

Kisses

Neni disse...

ahaha, embora mais nova, tb me lembro da mulher de branco. A que tinha o frasqunho era assustadora, lol.
Um dia destes trouxe de casa dos pais os diários. Eram mais da adolescência e dos meus dramas. Estou a pensar queimá-los.
:)

Ianita disse...

Não faças isso! É deprimente, mas é uma parte de nós... e Às vezes faz bem lembrarmo-nos de todas as coisas que dissemos que eram para toda a vida e que não foram... das vezes que dissemos que nunca mais íamos amar assim, e amámos... das vezes de dizer que nunca mais íamos sofrer assim, e sofremos... faz bem para relativizar tudo o que vivemos...

Kisses :)

@me@@@ disse...

he he... que rica novela, que bons tempos, que saudades!!!


:-)

Ianita disse...

@me@@@ um show, n era? :)

Verónica disse...

Há pouco tempo comprei alguns livros duma colecção que saiu do Jorge Amado e o primeiro que li foi a "Tieta do Agreste". Foi bom relembrar aquelas personagens, encontrar as diferenças entre o livro e a novela, a qual, mesmo passados todos estes anos, continua bem viva na minha memória.
Na altura foi um falatório pegado este genérico da novela, uma mulher com os seios à mostra...

Mais do que esta, gostei mesmo foi da "Dona Beija".

Na idade das descobertas, muito fizeram as novelas brasileiras pelo desabrochar da consciência sexual e sensual de ser mulher.

Ianita disse...

Verónica: ainda noutro dia falámos da Dona Beija com a Maitê Proença. Um show de novela. Lembro-me bem! :)

E a verdade é que só havia dois canais e a escolha era quase nenhuma... mas eu não me desculpo com a falta de escolha, eu gostava mesmo! :)

Kisses

Kayla disse...

Olha se gostas de novelões...vê a que esta a dar na sic...a da India,acho que me viciei novamente...Há anos que isso não acontecia.
beijinho

Ianita disse...

Kayla: Pois... a modos que também gosto de ver! :) Se bem que acho que o enredo do Clone era mais porreiro... mas adoro os chavões e o Tony Ramos a dar de comer à vaca! :)

Kiss

Vera Angélico disse...

Também não consigo livrar-me dos meus. Mas sempre que me cruzo com eles, contorno-os e finjo que não vi... ehehehe!

(A Tieta era fantástica... para veres a tolice dessa idade, lembro-me dos rapazes da turma irem para a Biblioteca ver ao dicionário o que era "tesão"... outros tempos... lol)!!!

Achei delicioso...

Ianita disse...

Vera: foi há uns 4 ou 5 anos que descobri este diário... este diário e um caderno onde escrevia as minhas histórias, aos 10 ou 11 anos... muito inspiradas em telenovelas, livros de uma aventura e livros Bianca da minha irmã que lia às escondidas! Ri tanto, tanto, mas tanto!! Está lá escondido de tudo e de todos! :)

Kiss

Lita disse...

Ianita, looool! Eu também guardo todos os meus diários e esses sim, são tesourinhos deprimentes... há dias fabulosos que começam por "hoje acordar as XX horas e vesti:XXXXX". Como vês, do mais interessante que há... ;)

Ianita disse...

Lita:........... se tu soubesses! Amo o Renato... três dias depois... ah e tal amo o João.... dois meses depois... o Rui é mesmo giro! Essa fase é horrível! Mesmo! Tadita de mim... Gosto mais desta fase parva das novelas e de dizer que não gosto da minha irmã e que não vou ao casamento dela :) Eheheh! Ela casou em Junho deste ano :)

Lita disse...

Eu também amava perdidamente uns quantos, provavelmente dependia dos dias da semana. Ah, e morria de amor. Quase todos os dias! ;)

Ianita disse...

E nunca mais ias amar alguém daquela maneira, né? :)

IandU disse...

Tieta, tieta :P

Era hora sagrada :P

ai ai :)

Ianita disse...

Iandu: estamos a ficar antigos :)

Mi disse...

Eu não vi isto, pois claro que não, mas confesso que também me envergonho um bocado dos meus diários... He he!
Oh, mas sabe tão bem, os problemas eram tantas formiguinhas... Ah ah!

Sayuri disse...

Eu tenho uns sete ou oito diários, e não os acho nada deprimentes! São lindos!! :D

Ianita disse...

MI: isto dos diários é uma epidemia! LOL :)

Ianita disse...

Sayuri: lindos?! Ui... os meus são no mínimo "embaraçantes" LOL :)

Andy disse...

Adorei ler um bocadinho do teu diário. Lol
Eu também escrevia coisas que não lembrava a ninguém, ainda hoje isso acontece mas não interessa...
Bjinho

Ianita disse...

Andy: isso já nem digo... o que escrevo agora é para me envergonhar daqui a 10 anos :)

Kiss

Isandes disse...

lol
o meu diário, já na adolescência, falava de dietas... isso sim, é deprimente!
mas recordaR é mesmo viver. e medir o k fomos e o k somos é sempr 1 exercício engraçado.
bjoca

Ianita disse...

Isandes: Dietas? Pois... o meu não falava dessas coisas... :) falava de novelas! LOL

Kisses