23 de junho de 2008

Cartas de Amor

Cartas de amor, quem as não tem... Assim reza a música. Antiga. O Álvaro de Campos dizia que todas as cartas de amor eram ridículas... Não seriam de amor de não fossem ridículas e, ao fim e ao cabo, só quem nunca escreveu cartas de amor é que é ridículo.
Eu escrevi mais do que recebi. Mas parece-me que não é surpresa para ninguém. Sou uma pessoa muito dada a palavras. Mais as escritas do que as ditas, embora haja quem me reconheça qualidades de boa oradora. Eu nem tanto. Meto os pés pelas mãos e normalmente dou passos maiores que as pernas. Nas cartas, as palavras são mais pensadas, cada uma pesada cuidadosamente... Ou não. Porque as minhas cartas têm a tendência a serem longas. Tenho um enorme talento para escrever páginas e mais páginas sem dizer nada de jeito... Mas acho mesmo as cartas de amor ridículas e acho que se lhes pusesse as mãos em cima, rasgaria todas as que já escrevi. Levaria umas horas, mas rasgaria! Não que me tenha apaixonado muitas vezes, mas porque sempre gostei de escrever muitas cartas... Mas as minhas cartas, acho eu, não são tão ridículas como esta do Nandinho (leia-se Fernando Pessoa). Aliás, todas as cartas dele são fabulosamente ridículas, mas esta...
"Bebezinho do Nininho-ninho:

Oh!Venho só quevê pâ dizê ó Bebezinho que gotei muito da catinha dela. Oh!E também tive munta pena de não tá ó pé do Bebé pâ le dá jinhos.

Oh! O Nininho é pequenininho!Hoje o Nininho não vai a Belém porque, como não sabia se havia carros, combinei tá aqui às seis ho'as.

Amanhã, a não sê qu'o Nininho não possa é que sai daqui pelas cinco e meia. (desenho de uma meia) (isto é a meia das cinco e meia).

Amanhã o Bebé espera pelo Nininho, sim? Em Belém, sim? Sim?Jinhos, jinhos e mais jinhos.

Fernando"
Uma carta fabulosamente ridícula...

4 comentários:

Manuela disse...

Fantabulastica, diria eu...

Ianita disse...

E aquela em que o Álvaro de Campos escreve à Ofélia a dizer-lhe para nunca mais falar com o Fernando Pessoa? Qualquer dia posto-a! :)

Manuela disse...

Posto-a? E isto um neologismo? Ou o meu portugues esta assim tao desactualizado?

Ianita disse...

é um neologismo nascido aqui mesmo no reino de ianita! Lindo, não é? :)