18 de março de 2009

Coração pequenino



Por estes dias vou andar assim... de coração apertado. A passar os dias a tentar pensar em outras coisas, mas a não conseguir. Esta sensação de impotência é castrante. Odeio ser assim. Odeio sentir-me assim.
Houve uma vez um rapaz que foi jantar a minha casa em Coimbra. Era meu conhecido, mas amigo da minha colega de casa. A meio do jantar ele virou-se para mim e disse qualquer coisa como "tu vais ser uma boa mãe". Não é um comentário usual, muito menos vindo de uma pessoa que só me conhecia de vista. Perguntei o que ele queria dizer com isso e ele disse-me que eu tomava conta das pessoas, via isso nos pequenos pormenores daquela noite, e que tratava os outros com um jeito maternal.
Estranhei. Afinal eu tenho muito mau feitio. É isso que consta por aí nas ruas e não deixa de ser verdade. Mas estranhei fundamentalmente por ser tão verdade, embora a maioria das pessoas não o saiba. Tenho uns instinto protector muito forte. Tomo conta das minhas pessoas e tenho coração de manteiga por trás do mau feitio. E preocupo-me. A minha irmã disse-me uma vez, há uns anos, que eu parecia a nossa mãe. E eu até admito que isto não é normal... não é normal levantar-me a meio da noite a ver se o meu irmão já chegou. Não é normal desesperar porque os meus pais não telefonaram de Madrid à hora marcada... não é normal ligar a TV à espera de notícias de queda de aviões... não é normal que para desviar a atenção de tragédias eu tivesse, nesse dia, descongelado e lavado a arca e o frigorífico. (E não ligaram porque o telemóvel não tinha actualizado a rede e não se lembraram de ir a uma cabine e afinal só atrasaram o telefonema hora e meia, mas a mim pareceu-me uma eternidade!).
Tento controlar ao máximo. Sei que sou um pouco maníaca, mas não consigo deixar de me sentir assim. Tive um namorado que dizia que eu o controlava e ele não gostava de ser controlado. Pois eu também não gosto de ser controlada. Dizia-lhe, e era verdade, que não queria saber com quem ele estava nem onde estava, mas apenas que estava bem. Só isso. Poucas pessoas me entendem. Vivo com o medo constante de que algo aconteça. E quando há alguma coisa fora do normal, fora do que é rotineiro, o coração aperta mais.
Ele não vem a este blog e eu tão pouco sou pessoa de dizer estas coisas. De mostrar este meu lado maníaco. Mas o brother vai viajar. E o meu coração está apertado. E só vai aliviar quando ele voltar a pôr o pézinho em terras de Portugal outra vez.
Passei alguns anos da minha vida a tentar apagar este meu lado. Mas ele continua lá. Faz parte de mim. Aprendi a aceitá-lo e a controlá-lo. É inevitável que eu pense sempre o pior, mesmo quando a opção optimista é mais plausível. Sou assim. É inevitável. E não preciso de muito. Basta um toque. Um toque diz "cheguei e estou vivo". E pronto. É o suficiente para me descansar. Não preciso de conversas nem de relatos de como foi isto ou aquilo. Preciso só de aliviar o peso na alma. Um toque.

18 comentários:

izzie disse...

Ok... é oficial!
Mais um post em que me revejo e aceno com a cabeça all the way!
A mim já me aconteceu acordar às 4 da manha e ser eu a telefonar aos paizinhos que se tinham esquecido da hora... chovia e trovejava que Deus lhe dava... e comecei logo a pensar o pior...
Com a irmão algo semelhante acontece... se não ouço notícias mais de dois dias... uuuui.
Mas acabo por ver as coisas como tu... não é controlo porque não interessam os detalhes... é preocupação... :)

Beijo

Ianita disse...

Izzie: eu passo uma semana inteira sem saber do meu irmão. Se estou fora de casa, mando a ocasional sms de dois em dois dias. Mesmo a sister, que vive na mesma terra que eu, sabemos uma da outra in a weekly basis. Para mim isto é normal. Comum. Quando algo foge ao que é a rotina é que a minha cabeça começa a flippar...

E esse namorado chamava-me controladora porque eu lhe pedia que ele mandasse sms quando não ia jantar... eu não queria saber onde é que ele ia jantar nem com quem, apenas que me avisasse para eu não fazer comida para ele. LOL Eu não sou mesmo nada controladora!

Beijo!

olgacruz disse...

Pois...
Nisto somos bem diferentes!

Não costumo stressar às primeiras... as más notícias correm depressa, portanto o silêncio é sinal que está tudo bem!
Além disso, o nosso stress não evita que o "mal" aconteça.

Não stresses maninha, vai tudo correr bem!

Bjs,

Ianita disse...

Olga: não é stress... não sei explicar.

E sei essa história toda que não evita o mal e que as notícias más correm depressa e etc e tal, mas não consigo evitar o que sinto. E não estou a pensar que vai acontecer algo de mal, estou apenas preocupada. Ansiosa. Apreensiva.

Somos diferentes.

lilipat2008 disse...

Quando gostamos das pessoas ficamos sempre preocupadas, claro...:)
Quando andava a estudar e saímos à noite (eu e uma amiga minha) ficava sempre combinado que ao chegarmos a casa mandavamos um toque à outra...era o suficiente para sabermos que a outra tinha chegado bem a casa. :)

bjs

Ianita disse...

Lilipat: e não custa nada, pois não? Tão simples...

Beijo

Lita disse...

Nesse aspecto eu sou bastante desligada! Acho sempre que nunca controlamos nada e que pensar nisso é um desperdício imenso de energia.
Ou melhor, era. Até nascer a minha filha. No que respeita a ela, revejo-me em tudo, mesmo quando a deixo na creche. Começo, aos poucos, a "curar-me". Mas também me levanto a meio da noite, para me certificar de que está tudo bem. :)
Beijos.

Ianita disse...

Lita: racionalmente até concordo. Faz sentido. Mas... isto é emocional. Não consigo não ser assim, embora controle ao máximo as demonstrações desta tara. Mas não deixo de o sentir...

Beijos

Sayuri disse...

Ianita, o que sentes é angustia,não? Um aansia para saber se chegou bem ,se está bem , e por ai fora...eu sofro do mesmo mal, não descanso enquanto nao tenho noticias....

Maria Anjos Varanda disse...

É tão bonito a preocupação com os outros....deves ser uma optima pessoa.....sensível...apesar de por vezes pores a capa de durona...

Continua.....

Beijos

Ianita disse...

Sayuri: isso... angústia... um aperto no peito que passa mal sei que tudo está bem,.... tanto que n me importam os pormenores. Só o saber que tudo está bem :)

Kiss

Ianita disse...

Maria: Não digas isso alto que me arruinas a reputação :) eu sou mesmo durona e mau-feitio e disso não haja dúvidas!

Beijo!

Cat disse...

Tudo acontece na nossa vida por uma razao..
Nao teno dvidas nenhumas de que seras uma boa mae...

Ianita disse...

Cat: talvez um dia... mas como sou boa, sou também ruim que nem cobras :) eheheheh

IandU disse...

O meu mau feitio leva a que ligue caso demorem muito. Não avisam a bem, avisam a mal :P

Ianita disse...

Iandu... e quando o telefone não funciona? Oh God.... :)

Mas está tudo bem. Já foi e já veio. :)

Kiss

IandU disse...

Ando eu a acumular até que esteja! ;)

Ainda bem que já voltou, o teu google reader deve de ter adormecido uns dias, recebi os teus posts todos na noite de hoje*

Ianita disse...

Iandu: tás a ver o que é eu nem sequer saber do que estás a falar? Sou muito loura... e hoje com berbequins, vai ser difícil! :)

Kiss