30 de março de 2009

Cuba


Adoro histórias de conspirações e de como os portugueses foram mais espertos que os espanhóis e os enganaram :) Já sei que quem se concentra nos Descobrimentos se está a focar num passado longínquo e numa glória passada que está longe de se concretizar novamente. Mas tem alguma coisa de mal ter orgulho do nosso passado e do grande estadista que foi D. João II? O melhor governante que este país já teve e que, curiosamente, só foi enganado por uma mulher. Go figure!

34 comentários:

Mag disse...

Só temos que ter é orgulho na herança dos nossos antepassados!
Não somos menores nem maiores, somos quem somos, e somos o acumular das histórias do passado (rico ou pobre) de navegantes e marinheiros.
Bela lembrança, amiga!
Very good :)

Ianita disse...

Mag: adoro estas conspirações todas :) e este fim-de-semana em que estive em Alcáçovas e em Cuba fez-me relembrar tudo :)

Um viva ao grande D. João II que, infelizmente, não viveu para ver os frutos de todas as suas maquinações!

E outro viva à minha professora de História, Nídea Estreia, que há 15 anos já nos contava a história oficiosa, enquanto nos dizia que aquilo não era para pôr no teste, mas que o que os livros diziam não era a verdade... :)

Mag disse...

A História é o máximo! Confesso que o que mais gosto é das histórias reais por detrás das personagens ;)

E VIVA!!!! :)

Vera Angélico disse...

Era mesmo de isso que ia falar. A professora Nídea marcou... Ainda hoje me lembro do fascínio que tinha por aquelas aulas, em que deixávamos de lado a história oficial, e ficávamos presos, ou rendidos à versão oficiosa... bons tempos!

A do Cristovão Colombo, já a contei incluisivé à Helena, que do alto dos seus 7 anos lá vai despertando a curiosidade para assuntos mais sérios.

Aqui para nós que ninguém nos ouve, nem espanhóis, nem povo nenhum. Somos os maiores... (ou pelo menos eu gosto de acreditar que sim)!

Ianita disse...

Vera: estou contigo!! :)

A Nídea era mesmo um fenómeno. Ela vibrava com aquilo. Ela corria sala fora. Ela contava tudo de forma tão entusiasmada que era impossível não se ficar rendido. Eu fiquei. Para sempre.

Sabes, quando saiu o Codex, uma amiga minha dizia que achava aquilo muito fantasioso e que não sabia onde é que o Zézinho tinha ido buscar aquilo. E eu disse-lhe, que muitos anos antes, a minha professora de História me tinha contado aquilo mesmo, tal e qual ele relata no livro (claro que sem as conspirações actuais). E disse-lhe que aquilo era mesmo verdade. E que se olhássemos para a versão oficial, com olhos de ver, com olhos de pensar, víamos a quantidade de falhas que aquilo tem. Que tem. Tantas coisas que não fazem sentido.

O que agradeço à professora Nídea foi o ter-me ensinado a pensar por mim. Ensinou-me que nem tudo o que vem nos livros é verdade. Ensinou-me a ter espírito crítico, a questionar. Lembro-me que foi esse espírito crítico que me levou a desconfiar da estória dos MacCain desde o primeiro dia. Havia ali qualquer coisa que não batia certo, como de facto não bate.

O que falta aos miúdos de hoje são pessoas inspiradas e inspiradoras nas suas vidas. Para que eles vejam que História não tem nada que ver com decorar datas. Para que eles aprendam a pensar. Para que eles aprendam a ser autónomos e não autómatos que apenas debitam aquilo que ouvem.

O que podemos fazer é influenciar os nossos. Tentar abrir-lhes os olhos da mente para que tenham curiosidade. A curiosidade, tão mal-vista desde a antiguidade clássica, é uma das melhores qualidades que uma pessoa pode ter. O desejo de saber sempre mais. O desejo de ir além de tudo o que já se sabe e já se pensa.

A minha sobrinha já não odeia História o que, para mim, é uma grande vitória :)

Continua na "lavagem cerebral" da tua menina porque vale a pena. Vais ver os frutos adiante :)

Beijo

Maria Anjos Varanda disse...

Concordo contigo.......
Grande governante D.João II....

Beijos

spritof disse...

Sim, já tinha lido que "Colombo" era da nossa Cuba, e que por isso assim denominou aquela ilha das caraíbas.

Quanto ao D. João II - "...só foi enganado por uma mulher. Go figure!" - a moral da história é...
...não se pode confiar nelas?
Ou trata-se aqui de alguma intenção de afirmação da superioridade feminina face ao género masculino?
:D


ok... maquinações, conjecturas e teorias da conspiração.
Nem vou comentar mais.
;)

Ianita disse...

Maria: :) Kiss

Spritof: Nem uma coisa nem outra. Apenas seria de esperar que um homem que foi tão inteligente e tão matreiro a enganar os espanhóis, um homem que conseguiu esconder a descoberta do Brasil até à alteração do tratado de Alcáçovas para Tordesilhas, um homem assim, é estranho que se tivesse deixado enganar, fosse por quem fosse, quanto mais por uma mulher, já que delas não reza a História :) Mas foi à conta dela que ele morreu e que quem lhe sucedeu no trono foi o cunhado e primo, irmão da dita cuja, D. Manuel I que, diz-se, também esteve envolvido no plano de assassínio :) Epah... eu meti a primeira, entranto a segunda e a terceira e ia já pronta a meter a quarta. :) Adoro estas coisas e quando começo... ui!

Kiss

Rice Man disse...

Em defesa de D. João II gostaria só de salientar que vocês, as mulheres, são a nossa maior fraqueza! :P

Também gosto muito desses 'pormenores'. :) Infelizmente muitas vezes ficam de fora do livros de História, o que os torna um bocadinho cinzentos. São os pormenores que dão colorido às coisas e, a meu ver, até ajudam a 'gravar' outros aspectos mais importantes no nosso cérebro.

Ianita disse...

Homem do arroz: não sei como está agora nos livros, uma vez que estes "pormenores" estão cada vez mais a ganhar força de verdade.

É tudo uma questão de se ter professores, educadores, pais bons, que nos saibam cativar para os "pormenores" que fazem tudo valer a pena. :)

Quanto à questão dos homens... já nem vou por aí. Digo apenas que, de facto, foi uma mulher que fez o D. João II perder-se e mais não digo :) diz que as generalizações são perigosas, mas quando a cabecinha pensadora muda de lugar, tragédias acontecem! :)

spritof disse...

...mete a quarta e a quinta, e as que mais vieram, que estava a gostar de ler.

História não é comigo, mas quando bem contada deixo-me embalar com muito gosto.

Ianita disse...

Spritof: Gosto de pensar que foi o Bartolomeu Dias quem efectivamente descobriu o Brasil, mas que não se pôde contar nada porque pelo Tratado de Alcáçovas aquilo pertenceria aos espanhóis.

Para os entreter, e desviar das Índias, o D. João II mandou o Colombo fazer a proposta de viagem para a Índia pelo Ocidente. Coisa que o D. João já sabia impossível. Mal Colombo descobre as Antilhas, são os espanhóis que se mostram interessados em alterar o tratado de Alcáçovas. O D. João II faz-se de novas e, como a iniciativa é deles consegue impor as suas condições. O Mundo é então dividido ao alto, a 370 léguas a oeste de Cabo Verde.

Porquê 370 léguas? Por que não 400? 200? 300? Para quê um número assim bicudo? Olhando o mapa e a linha divisória de Tordesilhas, vemos que as 370 léguas garantem a Portugal a Índia e o Brasil :) Nem mais nem menos! :)

Assinado o Tratado, começam os preparativos para as duas grandes viagens: Índia e o "descobrimento" do Brasil. Infelizmente, embora tendo preparado tudo, D. João II não viveu para ver nenhuma das duas viagens chegar ao fim com sucesso. Dizem que os ossos dele ainda têm veneno :)

:)

Verónica disse...

O nossa visita a Cuba começou e terminou com a foto obrigatória nesse monumento a Cristovão Colon, lol!

E há pouco tempo tivemos ao pé do túmulo dele em Sevilha, tb há provas fotográficas!

Ianita disse...

Verónica: Há sim senhora, só não queria divulgá-las :) E acho que, face a novas provas irrefutáveis, devíamos fazer uma abaixo assinado para trasladarem o corpo dele para Cuba. Era mais que justo. Num cortejo tipo o de Inês de Castro :)

Pois... Cuba não tem mesmo nada... safou-nos a dita estátua se não vínhamos de lá na mesma LOL

Verónica disse...

Pois, e uma coisa que não tem em condições é placas, consegui o magnífico feito de me perder lá duas vezes, na ida e no regresso... é obra!

Ianita disse...

Verónica: eu perdi-me em Alcáçovas na ida e em Torrão na vinda. Mas parece-me que foi só porque não vim pelo mesmo caminho :) LOL

lilipat2008 disse...

Por momentos fizeste-me lembrar do Codex 632...:)...também adoro estas conspirações...:)

bjs

Ianita disse...

Lilipat: Esse livro é brutal! Adoro!

Lá está, dizia num dos comentários que uma amiga leu esse livro e achou que era tudo inventado. E eu disse-lhe que tinha aprendido isto na escola :)

Cat disse...

podes crer...
Portugal tem muitos Feitos de que nos podemos orgulhar....
:-)
boa continuaçao de trabalho...

Ianita disse...

Cat: Tem sim senhora! Muitos mesmos! Não podia ser tudo mau, né? ;)

Kiss

Devaneante disse...

Não, não há nada de mal nisso, pelo contrário! Só não podemos viver em função disso...

Hélio disse...

O D. Joao II é o ultimo homem com sentido de estado de produção nacional, sem inspirações de lobbys... o q ele conseguiu fazer, tendo so herdado as estradas do reino (como ele dizia) é, a todos os títulos, notavel... e sabendo q a Historia é implacavel nos cognomes, só o dele diz tudo - o Príncipe Perfeito.

Ah e mais uma coisa: quem é q a Firaxis, editora de jogos de computador e casa-mãe do celebre e lendariamente aclamado Civilization que ja vai na 4ª versao, escolheu como personagem líder do povo Português? You got it!! O Johnny II! É grande!

Beijos

Hélio disse...

Ah, é verdade, duas coisas: um livro mt giro para leres: 12 erros q mudaram Portugal - a brincar, a brincar lá s vai ensinando Historia da boa!
A outra coisa: antes d Bartolomeus e afins, o nome Corte-Real nao vos diz nada? A Gronelandia (so por isto, pq ele foi bem mais alem) pertence a q continente? Oceânia? ;)

Ianita disse...

Devaneante: Precisamente :)

Ianita disse...

Hélio: Eu de jogos de computador percebo pouco, mas do que se me tem dado a conhecer, normalmente o pessoal toma liberdades históricas, como nos filmes.

Quanto ao resto, ou estás equivocado ou sou eu quem não está a atingir. A viagem do Gaspar Corte-Real à Gronelândia foi feita já depois da descoberta do Brasil, se não me engano em 1501 ou 1502, por aí. E a dita Terra Nova não é na Oceânia... O que é que me está a escapar?

spritof disse...

Grazie Ianita, inspiraste-me a procurar informação sobre o dito rei.
:)

Ianita disse...

Spritof: Boa!! :) Partilha depois o que achaste :)

Hélio disse...

Olha q segundo o q eu tenho acesso, a viagem do Corte-Real foi antes... nao t esqueças q houve 2 Corte-Real famosos: João Vaz (o pai) e Gaspar (um dos 3 filhos). A viagem à Terra Nova foi, como é largamente aceite pela comunidade de historiadores, em 1472 - 20 anos antes do senhor Salvador Zarco, portanto :). Se quiseres saber mais é so ires á Wiki! :)

Noiva Judia disse...

É das minhas figuras históricas preferidas.

Ianita disse...

Hélio: mas quem foi à Gronelândia foi o filho, Gaspar Corte-Real e não o pai...

Ianita disse...

Noiva: me too :)

Kiss

Ianita disse...

Hélio: lembrava-me do Gaspar Corte-Real, possivelmente pela tragédia dele e do irmão. Sabes, a minha cabeça só se lembra de coisas assim. De facto, há relatos que indicam que João Corte-Real terá chegado à Terra Nova, embora também haja quem diga que nenhum europeu chegou à Gronelândia antes do século XVI.

Kiss

lilipat2008 disse...

Eu não aprendi isto na escola e, depois de ler o livro, enviei um mail ao José Rodrigues dos Santos a felicitar o trabalho e a perguntar até que ponto isto poderia ser verdade. E ele, que me respondeu no mesmo dia, disse-me que isto eram teorias que nunca tinham sido provadas, e, por isso, é que ainda se continua a aceitar a teoria de Génova. Fiquei sem saber em que acreditar, mas que a hipótese de Cuba é a que mais me agrada, não desminto...:)

bjs

Ianita disse...

Lilipat: a verdade é que a teoria de Génova tem mesmo muitas falhas, mas é a oficial. Para a destronar são precisas provas que não existem, embora, não existam provas para testemunhar a favor de Génova também. Ou seja, não há provas de nada, apenas que o Colombo chegou às Antilhas ao serviço dos Reis Católicos. Ficou uma versão e para a destronar vai ser preciso o que não existe, provas.

Não é por ser portuguesa, mas a versão que consta do Codex é, de facto, a que mais satisfaz a minha curiosidade, a que mais preenche os espaços em branco deixados pela História.

Kisses