22 de junho de 2009

Das circunstâncias

Os homens têm de aguentar as desventuras
impostas pelos deuses. Mas as desventuras
que um homem impõe a si próprio,
dessas ninguém deve sentir compaixão.



Filoctetes, Sófocles

Dizia o Luís, personagem do JRS, que somos joguetes nas mãos do Destino... que somos vítimas das circunstâncias. Mas há as outras circunstâncias... as que criamos para nós. O dito "fizeste a cama, agora deita-te nela". E quando não é só quem faz o mal que se deita na cama? E os danos colaterais?

Devemos chamar uma pessoa à responsabilidade, mesmo sabendo das repercussões que pode ter? Ou devemos fechar os olhos e deixar as coisas seguirem o seu rumo natural? Onde está o limite? Quando é que é razoável intervir?

Por que é que as pessoas se julgam intocáveis, invencíveis? Por que é que pensam que conseguem fazer a porcaria que quiserem e que nunca vão ser apanhados? Por que é que... Já nem falo em amor... falo em Respeito... por que é que as pessoas não se podem simplesmente respeitar umas às outras?

Porquê?

Quem semeia ventos colhe tempestades... Não sei se estou pronta para a tempestade que se avizinha. Mas sei que vou ter de agir.

16 comentários:

Verónica disse...

A tempestade não dura para sempre, força :)

Mag disse...

Há situações em que vemos desenrolar, frente aos olhos, uma "farsa" que parece real aos outros, mas que sabemos não o ser. E temos nas mãos a possibilidade de fechar o teatro...

É um lugar delicado. E não há conselhos que lhe sirvam, porque cada pessoa é uma pessoa diferente e cada situação tem as suas nuances particulares.

Quando posso, passo ao lado e deixo a vida caminhar como quiser (geralmente ela acaba por se encarregar do cair do pano por si mesma!). Mas abstrair-nos e "deixar andar" só é possível enquanto sabemos que não estamos, com o silêncio ou a imobilidade, a magoar(ou permitir que se magoe) alguém de quem gostamos...

P.S. - Espero ter interpretado bem o post.... :)

ianita disse...

Verónica: não há mal que para sempre dure nem bem que nunca se acabe... uma verdade.

Obrigada

ianita disse...

Mag: interpretaste bem... é sempre uma situação delicada...

E depois de ter deixado andar durante um tempo... vê-se chegada a hora de fazer alguma coisa... ou não. A dúvida persiste...

Não sei o que faça e a dúvida corrói-me por dentro. Mas sei que já não vou ficar parada... não quero este peso na minha consciência.

Neste momento, o estrago que posso provocar com as minhas acções é sempre menor do que provocarei com a minha inacção...

Por isso....

Obrigada pelas palavras.

beijinhos

Vera Angélico disse...

Não sei o que te diga. Mas sempre te disse que sou "passional" e impulsiva. O que significa que tenho uma dificuldade intrínseca de ver as coisas acontecerem, sem fazer nada...

Às vezes, há verdades que escondemos dos outros, para os proteger. Mas até que ponto é que estamos de facto a protegê-los? Costuma-se dizer que "olhos que não vêm, coração que não sente", mas... e o reverso da medalha?

Tenho uma situação destas a acontecer à minha frente há muito tempo. Ao princípio, achei que devia ficar calada. Hoje, penso que vou precisar de coragem para falar. Que vai doer, o que vou dizer. Só que não posso pactuar com uma coisa com a qual não concordo. Não posso pactuar e ver pessoas a serem enganadas, sem fazer nada.

Só que há tantos caminhos. Tantos...

ianita disse...

Vera: there's no turning back now....

Obrigada.

Beijos

Sayuri disse...

estou a ficar deveras curiosa....

ianita disse...

Sayuri: there's no turning back!

Kisses

lilipat2008 disse...

Seja qual for, depois da tempestade vem a bonança...espero que tudo se resolva pelo melhor...:)

bjitos

ianita disse...

Lilipat: tens razão... e é saber isso que me ajuda :)

Obrigada!

Rice Man disse...

"Action may not always bring happiness, but there is no happiness without action." - Benjamin Disraeli

Acho que compreendo o teu dilema... Já decidiste fazer o que achas ser correcto... mas agora só não sabes como fazê-lo de maneira a causar o mínimo de estragos possíveis. É isso? Seja como for, agora só te resta ir em frente. Atrás de ti tens uma multidão a apoiar-te (como vi pelos comentários) e, se à tua frente estiverem pessoas que te conhecem, elas com certeza saberão que o que fazes é pelo melhor.

Boa sorte. :)***

ianita disse...

Mr. Rice: precisamente....

As coisas bem não vão ficar... mas podem ficar menos más...

Obrigada.

spritof disse...

bem... agarra-te bem, não vá a tempestade trazer rajadas de 190 km/hora.
;)





se precisares de algo, avisa...

ianita disse...

Spritof: isso é gajo pra me derrubar..... é melhor ter cuidado! :D

Obrigada!

Anita disse...

as tempestades, embora umas sejam mais fortes do que outras, passam sempre:)
força:)

ianita disse...

Anita: sim... passam! Esta não será excepção, eu sei :)

Beijinhos e Obrigada!