24 de junho de 2009

Ressurreição

"Não sei se acreditas. Se acreditas Nele. Se te dá conforto, quando alguns muros se desmoronam. Não sei se sabes. Que Ele pode até nem existir. Que pode tudo ser uma longa história que nos contaram desde cedo, só para termos uma força superior a apoiar-nos. Das que mais recordo, nos tempos em que ouvir falar Dele era uma obrigação. Aquela em que alguém se sentia abandonado, porque na praia via apenas as próprias pegadas. E Ele respondia qualquer coisa do género. Se não me sentiste ao teu lado, foi porque nessa altura te peguei ao colo.

(...)

Por isso. Seja Ele, seja quem for. Hoje, ou noutros momentos. Sempre que precisares. Há-de haver quem te leve ao colo. Quem te ajude a levantar. Quem te diga uma palavra. Ou, simplesmente, quem fique em silêncio a ouvir-te. Hoje, sempre. Para o que precisares. Eu posso..."


Escreveram-me isto (Obrigada Vera pelas palavras sempre certas)... e a verdade é que nem eu sei se acredito. Quer dizer... não é que acredite, porque não acredito. Mas também não quer dizer que não acredite, porque acredito. Estou no limbo... Gostava de ter a paz que reconheço nos que acreditam e nos que não acreditam. Eu acredito, mas não acredito. Eu não acredito, mas acredito.

Entretanto ontem, andava a meias entre a novela dos indianos e o Bairro Alto, onde estava a ser entrevistada a escritora Siri Hustvedt que falava do seu último livro, "The Sorrows of an American". E houve algo que ela disse que me fez pleno sentido... o Fialho Gouveia Filho perguntava-lhe por uma personagem. Uma menina que está em coma e que acorda. Dizia ele que ela como escritora tinha o poder de vida e de morte das suas personagens e perguntou o porquê de aquela personagem em particular ter sobrevivido (pergunta deveras interessante, devo dizer). E ela falou em ressurreição... Não a Ressurreição cristã, daquela dos catecismos, aquela de morrer e voltar a viver, mas uma Ressurreição em Vida. Voltar à vida enquanto se vive. Reencarnar em vida...

E nisto eu acredito. Acredito na força sobre-humana que nos move. Acredito na luz que carregamos e que nos carrega, que nos leva ao colo. Acredito na Força. A menina em coma simboliza-nos a todos... todos nós... quando estamos mal, quando nos deixamos ir abaixo pelas circunstâncias da vida, quando estamos deprimidos, cansados, subjugados... quando baixamos os braços e paramos de lutar... lutar pela vida, lutar por nós, pelos outros, pelo que nos rodeia. E todos nós temos a capacidade de acordar desse torpor... todos podemos, todos conseguimos... voltar à vida!

Nesta força eu acredito. Acredito no ser-humano e na sua capacidade de fazer mais, ser mais, viver mais. Ressurreição em vida. Gostei.


Deixo-vos a epígrafe do livro, uma frase de Rumi, poeta persa do século XI: “Don’t turn away. Keep looking at the bandaged place. That’s where the light enters you.”

E, como não poderia deixar de ser, a música da Jem que a Vera escolheu para mim :) I will keep on walking...


20 comentários:

Brigitte disse...

Está quase a fazer um ano que aconteceu a uma pessoa conhecida, que fez acreditar que existe algo superior.....Ele caiu, bateu com a nuca e ficou em como profundo, todos os medicos diziam que não se safava, mas de um dia para o outro, ele acordou...bem...hoje tem uma vida particamente normal!!!

E esta?

beijinhos
:)

ianita disse...

Brigitte: já aconteceu isso à minha avó duas vezes... são exemplos.

Mas... o que eu queria dizer é que muitos de nós andamos por aí, falamos, comemos, dormimos, mas é como se estivéssemos em coma... adormecidos para a vida. E a precisar de uma Ressurreição. :)

Beijinhos

Verónica disse...

Sim, é possivel renascer, tal qual uma Fénix :)

ianita disse...

Verónica: e o tempo é Agora! :)

Um beijo grande e Obrigada

(nem de propósito começou agora na Antena 3 "É tão bom" do Sérgio Godinho... e isso é o que mereces ouvir! É tão bom uma amizade assim, ai faz tão bem saber com quem contar, eu quero ir ter com quem me quer assim.......)

Mag disse...

A força interior, esta força que tenho vindo a descobrir, acho que nem eu tinha a dimensão dela.

Sinto-a em ti também desde o primeiro momento. Não fazes, em definitivo, parte dos que se consolam nas agruras da vida.

Diz-me muito este post.
Grazie...

ianita disse...

Mag: andei na Catequese até ao fim, mas nunca acreditei... acho que consegui começar a acreditar quando estudei os Clássicos... eu acredito no poder do Universo... acredito das forças da Natureza... na Mãe Gaia, Deméter...

E acredito fundamentalmente na centelha divina que Prometeu roubou para nós. Nós temos o poder. Nisto eu Acredito com A maiúsculo.

E não... não me alimento de escuridão. Alimento-me de luz e força. Como tu... como todas as pessoas de boa índole. Basta querer e acreditar.

Beijinhos
(Já encomendei o livro... algo me diz que vou gostar... depois digo o que achei)

Lita disse...

Gostei deste post. É luminoso. Só nao acredito que Prometeu tenha roubado uma centelha divina para nós (embora entenda perfeitamente a metáfora).
Acho que nós somos divinos. Seres espirituais num caminho humano. As duas coisas sao uma.
Abraço.

ianita disse...

Lita: eu tento... trilhar o caminho da luz... nem sempre posso, nem sempre consigo... mas é esse o caminho que eu quero.

Beijo

Rice Man disse...

Eu também acredito nessa força. :) Desculpa referir um comentário que fizeste a outra pessoa (à Mag) mas eu sou como tu... Também fiz a catequese toda e nunca acreditei. Mas há uma diferença... Eu comecei a acreditar porque a comecei a ver em pessoas como tu (diz obrigado aos Clássicos por mim. ;P ), que têm sede de viver. É através da tua que aos poucos começo a descobrir a minha. E espero que um dia ela se torne suficientemente forte para inspirar outros como tu me inspiraste a mim.

:)***

ianita disse...

Mr. Rice: eu só não acreditava que o nosso destino estivesse nas mãos de outrem... fazia-me confusão...

A "culpa", mais que dos Clássicos, é da minha avó e do grande exemplo que ela me deu :)

E... concluindo... estas foram das palavras mais bonitas que me disseram. Obrigada.

Let the Force be with you! :)

lilipat2008 disse...

Eu acredito e acredito que pode haver várias formas de acreditar...essa força humana em que acreditas, eu acredito que alguém um dia acreditou que isso faria outros acreditar...:)
Fui confusa?

bjitos

izzie disse...

A Vera falava-te nas "Pegadas na Areia"... palavras que também já me dedicaram, num dos momentos mais bonitos da minha vida e que tanta incerteza me trouxe.
Que haja sempre alguém que nos leve ao colo? Não sei... mas gosto de pensar que há sempre alguém que, de uma forma ou outra, por uma razão ou outra, nos acompanha.
Sejamos nós próprios, família, amigos, amores...
Aí concordo com a Lita (como já cá faltava... :)) é aldo divino... é uma centelha de Luz "só nossa".

Keep on walking... not only will you get nowhere stopped... as there will always be someone near by.

Beijos,

ianita disse...

Lilipat: não... fizeste-me pleno sentido :)

Beijinhos!

ianita disse...

Izzie: não há pessoas fortes e fracas... há pessoas que aceitam a sua força e a usam e há quem escolha não a usar...

Eu escolho usá-la!

Kisses

IandU disse...

Eu cá tenho uma opinião formada, pelo menos para mim.
Temos que ter um ser superior para lutarmos por algo. Mesmo não existindo, mesmo não acreditando, aceitamos.
Afinal, se estivermos no topo, em que vamos acreditar?

ianita disse...

Iandu: em nós?

IandU disse...

Normalmente que vai à frente tem menos força de quem está atrás. De vontade, diga-se!

ianita disse...

Iandu: cá eu acho que é precisa muita força de vontade para se puxar pela multidão... não achas?

Deus, a existir, vive em nós. Não no sentido católico, mas no sentido em que nós podemos fazer a nossa vida mais e melhor... se quisermos.

Beijo

IandU disse...

Sim, acho.

Mas o que eu estava a referir é que é mais fácil ter vontade quando estás a subir do que quando já lá estás em cima!

Falo por mim, claramente.

Beijinhos

ianita disse...

Iandu: pois... já não sei... vejo muitas pessoas que sobem empurradas pelos outros... que passam o tempo todo a reclamar que custa e que não vai valer a pena... e que, chegando lá em cima, dizem que sempre acreditaram...

Eu acredito quando estou a subir... acredito que cada passo vai valer a pena... acredito que o esforço é preciso e necessário...

Chegando lá em cima, ao objectivo pretendido, sento-me um pouco a apreciar a vista...

Para quem quer viver, não há caminhos fáceis...

:)