23 de julho de 2009

O poço (outra vez)

Acho que é bom quando descemos ao fundo... acho que às vezes é mesmo o melhor que nos pode acontecer...

Se ficamos parados, estagnados, ali no meio do poço... nem descemos ao fundo, mas também não temos forças para subir, e acabamos por morrer afogados.

Se formos ao fundo, podemos usar as pernas para bater com bastante força no fundo do poço. Assim, ali no fundo, ganhamos impulso para subir e vir à tona.

O que eu desejo a todas as pessoas que se vêem a descer ao fundo do poço é que tenham força, que guardem forças para darem com as pernas no fundo... ganharem impulo e subirem.... para o ar fresco... para a luz...

15 comentários:

PAULO LONTRO disse...

Este texto é muito bonito, mas isso não é o mais importante.

Este texto tem uma mensagem muito importante e muito clara.

Lembro que quem o escreveu é uma pessoa que se diz, muitas vezes, ser fraca e pequenina.

Ana, deixa que te diga que pessoas que escrevem o que escreveste são gigantes, e uma fonte de inspiração para quem não tem coragem de olhar em frente ou de descer ao poço já com o pensamento que ao bater no fundo terá que aproveitar o momento para vir a superfície, mais forte do que nunca.

ianita disse...

Paulo: nada na vida é definitivo... e temos de olhar para as vicissitudes como oportunidades...

Emocionaste-me...

NI disse...

E pensar que até à pouco tempo conseguia escrever uma mensagem destas...

ianita disse...

Ni: então é porque ainda consegues... porque a pessoa que és não muda. Por mais que queiras...

Maria Anjos Varanda disse...

Acima de tudo Grande mensagem que passaste com as tuas palavras....

Beijos

dina disse...

é isso mesmo
é preciso acreditar que lá em baixo está um chão para tomarmos impulso

Lita disse...

Grande mensagem. O poço é apenas uma fase... e, como tudo o resto, também ele passará...
Beijos

PAULO LONTRO disse...

Lita, desculpa mas o poço pode ser uma fase ou não, há quem passe a vida no poço.
A "fase" passará se quem está lá dentro fizer por isso.
Infelizmente na vida não podemos esperar que esteja sempre uma mão estendida para nos tirar do poço.
Sair de lá só depende de cada u de nós. Tão simples como isso...

Lita disse...

Paulo - e peço desculpa à Ianita por usar o espaço de antena dela - eu concordo em absoluto contigo. Não há príncipes encantados, ninguém tem de fazer por nós aquilo que não não fazemos por nós. A questão de ser uma fase prendia-se mais com a mutação das coisas, com a noite e o dia, o claro e o escuro. Sim, temos de fazer por nós, mas com a consciência de que a experiência é total, não apenas uma parte da moeda. Onde queremos situar-nos, enquanto filosofia, é escolha nossa, evidente. :)

Vera Angélico disse...

Ai... só mesmo tu para veres positividade no fundo do poço. Eu, quando me sinto assim, acho sempre que o mundo vai acabar, e que sou a pessoa mais infeliz do mundo, e afins... Nunca sequer me tinha passado pela cabeça que isto era possível!

(Já te disse que o teu optimismo me faz mesmo bem???)

lilipat2008 disse...

Mas para isso temos de fazer muito exercício quando estivermos em cima, para os músculos das pernas estarem bem torneados e poderem dar um maior impulso...:)

bjitos

RedWoman disse...

O teu texto faz-me lembrar o último livro que li, o Plano Infinito da Isabel Allende em que uma das personagens diz isso mesmo o bom de chegar ao fundo do poço é poder fazer força com os pés no chão e voltar a emergir, por isso coragem e muita força nas pernas ;)

ianita disse...

MARIA: acredito no que disse... e tento viver em conformidade...

dina: isso mesmo... e há sempre, não há? :)

Lita: :)

ianita disse...

Paulo: penso que a Lita se referia a mim... que o meu poço ia passar... talvez porque sabe que eu não sou menina de me deixar lá ficar :)

Lita: pois... eu não acredito em príncipes encantados... ainda no outro dia eu dizia que não preciso de ser salva por outra pessoa que não eu mesma. And I mean it! :)

ianita disse...

Vera: mas não é verdade? O poço tem um fundo... um fundo onde podemos apoiar as pernas e ganhar impulso para subir... n é? Não é optimismo... é... não sei bem o que é... é! :)

Red: e eu que implico com a Isabel Allende... nunca li nada dela... não sei bem porquê... mas gostei disso que disseste! A ver se ganho coragem para ler um livro dela :)