6 de outubro de 2009

A tempestade



A modos que é isto. A primeira tempestade da época 2009/2010. Não é chuvita. É a verdadeira tempestade.


Muita muita muita chuva. Muita trovoada. Muitos relâmpagos. Enquanto estive no trabalho, tranquilo. Calor. Manga curta. Normal. Grande molha à hora do almoço. À saída... três gajos à porta do edifício à espera que chovesse menos para irem para os carros. A je armada em heroína passa por eles e caminha (porque se saltos não se corre, ainda para mais com gente a ver) para o carro debaixo de algo que não era chuva, mas baldadas de água para cima.


O pior veio depois... IC2 sem luz... estrada alagada... carros a 30km/h. Muitos relâmpagos! Muita trovoada. A chuva que era torrencial. Não se via nada! Pior só quando saí do IC2 e entrei na minha magnífica Freguesia. Com as estradas alagadas. Com os relâmpagos e os trovões e animarem a festa. Sem luz de candeeiros. E sem marcas na estrada!! E conhecer a estrada não adianta de muito nestas condições. Acho que nunca demorei tanto tempo a chegar a casa.


Valeram-me duas companhias. Primeiro a V. a quem liguei a meio do caminho pelo IC2, apenas e só para espantar aquela coisa que eu sentia e que muitos poderão chamar de medo, mas eu não chamo medo porque eu não tenho medo de conduzir numa tempestade como a de hoje, nada disso, medo não. E depois, dos Bon JOvi com quem cantei o mais alto que pude e consegui. Assim numa de espantar os espíritos maus.


Porque uma tempestade sabe mal, mas sabe bem também... porque nos renova. Porque mexe a terra. Porque nos inunda e com ela leva o que de mau nos está a carregar... hoje deixei que a tempestade me molhasse muito duas vezes... e quis que com ela fossem alguns sentimentos maus, algumas preocupações, alguns problemas. E assim, renasci. Outra vez.





This ain't a song for the brokenhearted
No silent prayer for the faith departed
And I ain't gonna be just a face in the crowd
You're gonna hear my voice when I shout it out loud

It's my life
It's now or never
I ain't gonna live forever
I just wanna live while I'm alive


(It's my life)
My heart is like an open highway
Like Frankie said, "I did it my way"
I just wanna live while I'm alive
'Cause it's my life

This is for the ones who stood their ground
For Tommy and Gina who never backed down
Tomorrow's getting harder, make no mistake
Luck ain't even lucky, gotta make your own breaks


It's my life
And it's now or never
I ain't gonna live forever
I just wanna live while I'm alive

(It's my life)
My heart is like an open highway
Like Frankie said, "I did it my way"
I just wanna live while I'm alive
'Cause it's my life

You better stand tall
When they're calling you out
Don't bend, don't break
Baby, don't back down


It's my life
It's now or never
'Cause I ain't gonna live forever
I just wanna live while I'm alive

(It's my life)
My heart is like an open highway
Like Frankie said, "I did it my way"
I just wanna live while I'm alive

(It's my life)
And it's now or never
I ain't gonna live forever
I just wanna live while I'm alive

(It's my life)
My heart is like an open highway
Like Frankie said, "I did it my way"
I just wanna live while I'm alive
'Cause it's my life!

11 comentários:

VG disse...

Há músicas que me fazem aumentar o som do rádio ao máximo, essa é uma delas ;)

ianita disse...

VG: e assim não se ouvem os trovões ;)

Sayuri disse...

Estou a ver que por aí o dia esteve pior do que por estas terras! É bom que não chova na 5ª e na 6ªf; tenho uma viagem de 4 horas para fazer...

Eumesma disse...

Gosto de uma boa tempestade, agita a a monotonia, lava a terra e ás vezes a alma, tal como dizes...
Aqui nada de passou para além de uma chuvita e um pouo de vento, mas savia-me bem de momento uma agitação dessas...:-)

ianita disse...

Sayuri: diz que a partir de 5ªfeira melhora... a ver!

Eumesma: eu gosto, mas quando estou em casa! Assim a ter de andar na estrada não é fácil...

Brigitte disse...

Como eu te compreendo.
Esta noite foi uma festa ali para os meus lados, ora se até às 2 da manhã foi ouvir o meu irmão na sala a falar ao tlm e a tossir, pq o gajo tá com uma daquelas constipações, logo a seguir ao silêncio do sr foi a bela e radiosa trovoada!

Há noite melhor que esta????

:)

andreia disse...

Bem quando chegou a tempestade eu estava em casa e ainda bem que não gosto de conduzir assim nessas condições, tenho bastante respeito à estrada quando chove, então desde que sou mãe fiquei uma medricas de primeira.
Pior foi ir a luz abaixo e aquele barulho todo da trovoada e a minha filha aos berros por mim, isso sim custou!!!
De resto confesso que adoro dias assim em casa com chuva a cair, pena não dar para ver os raios (ao longe claro) porque acho um espetaculo da natureza lindissimo.
beijinhos

TM disse...

Realmente o inverno parece que chegou em grande, e nós ainda só estamos no outono...
A minha vantagem é o ontem o cansaço me levou a andar de ténis... e ala de correr que banho gosto é em casa com água quentinha...

Luisa Moreira disse...

Foste tu que, tiraste a foto? É perigoso! mas ficou linda!
Estares no meio da tempestade é, que nao foi nada agradável.

Beijinhos
Luisa

Rice Man disse...

Pois eu cá ADORO tempestades (a menos que alguém corra perigo de vida, claro). :) Já muitas vezes me apeteceu ir para o ponto mais alto da cidade no meio de uma para ver melhor os relâmpagos. Acho que no meu caso funciona como terapia... Ao sentir a força/poder dos elementos relativizo a importância/magnitude dos meus problemas.

Fizeste muito bem em aproveitar a tempestade... Elas não acontecem assim tantas vezes.

ianita disse...

Brigitte: tadita... o tempo melhorou... vais ver que a tua noite vai ser melhor :)

andreia: eu adoro... só não gosto de ter de andar na estrada com este tempo... nada de nada!

TM: Não posso ir de sapatilhas para o trabalho... mas a roupa molhada só foi problema à hora do almoço porque ao fim do dia foi só chegar a casa e banho a ferver! :)

Luísa: eu cheia de medo e achas que ainda me punha a fotografar? Nada disso... foto tirada algures da Internet. :)

Rice Man: como disse no post, gosto das tempestades. Mas gosto pouco de andar no meio dos relâmpagos porque imagino sempre que pode vir um maluco que me caia em cima (leia-se, relâmpago maluco). Porque a chuva é deveras renovadora!