23 de agosto de 2010

Cartas

Sempre gostei de cartas. De as escrever. Cartas cheias de tudo. Cartas cheias de nada. Há alguma magia numa carta. Na espera.

É verdade que as palavras escritas são mais pensadas do que as palavras ditas. Mas também é verdade que as palavras escritas duram para sempre e as ditas não.

Já escrevi muitas cartas. Longas. Tenho o grande talento de escrever muito sem dizer nada. E escrevo como se falasse com a pessoa. Como se lhe adivinhasse os comentários e as perguntas e respostas.

E nestes tempos em que são já tão pouco comuns, continuo a querer escrever cartas. E a recebê-las. Ridículas ou não.

Nestes tempos em que ninguém tem tempo para nada nem para ninguém, escrever uma carta é mostrar a alguém que se gosta.

Ando desleixada... nisto das cartas... mas hei-de voltar... a escrever cartas.

E estou assim muito para o obcecada por esta música. Ouço em repeat. Adoro. O som. A melodia. A letra. I used to wait. Arcade Fire.






I used to write
I used to write letters
I used to sign my name


I used to sleep at night
Before the flashing lights settled deep in my brain


But by the time we met
By the time we met the times had already changed

So I never wrote a letter
I never took my true heart, I never wrote it down

So when the lights cut out
I was lost standing in the wilderness downtown

Now our lives are changing fast
Now our lives are changing fast
Hope that something pure can last
Hope that something pure can last

Now it seems strange
How we used to wait for letters to arrive
But what's stranger still
Is how something so small can keep you alive


We used to wait
We used to waste hours just walking around
We used to wait
All those wasted lives in the wilderness downtown

We used to wait
We used to wait
We used to wait
Sometimes it never came
We used to wait
Sometimes it never came
We used to wait
I'm still moving through the pain

I'm gonna write
A letter to my true love
I'm gonna sign my name

Like a patient on a table
I wanna walk again
Gonna move to the pain

Now our lives are changing fast
Now our lives are changing fast
Hope that something pure can last
Hope that something pure can last

We used to wait
We used to wait
We used to wait

6 comentários:

im disse...

Como escreveste escrever uma carta é mostrar que se gosta, é doar tempo ao outro que nos é importante.
Mas ninguém tem tempo. Não temos tempo, ou muitas vezes fazemo-nos de ocupados.
'Perder' tempo a escrever nem que seja um bilhete rápido é um gesto tão simples e pode ser a causa de um dia mais feliz, de um dia cheio, daqueles que valem a pena.

ianita disse...

im: é tão bom receber cartas, não é?

Por isso é que adorei a vossa prenda de aniversário! Muito especial mesmo!!

Beijos!

LP disse...

Parece-me que mais depressa ouço Arcade Fire do que escrevo uma carta! A ver vamos, já sou de outra geração! ;)

Beijinhos

ianita disse...

LP: os Arcade Fire rulam! E esta música é quase uma obra-prima :D

E não te esqueças que tenho a tua letra num postal ;)

Beijos!

PomPix disse...

Concordo, escrever e receber cartas tem a sua magia. Antes era a forma que as pessoas tinham de comunicar a longa distância e a um baixo custo. Escrever à família, amigos, namorado para dizer como correr estão, o que têm feito e pedindo novidades dos que a lêem. Pena que a troca de cartas já não seja um hábito. Agora temos os e-mails...

ianita disse...

Pompix: eu às vezes escrevo... quando tenho de enviar uma encomenda a alguém, por exemplo... sou incapaz de simplesmente pôr a encomenda dentro da caixa e enviar... tenho sempre de escrever uma cartinha :) normalmente cheia de nadas, mas uma cartinha :)