12 de dezembro de 2008

Apontamento

Conheci esta cantora e esta música com letra de Fernando Pessoa num daqueles programas da treta da TVI. Dava ao Domingo à noite, se não me engano. Era aquele programa em que um actor ou actriz cantava com um cantor para ajudarem uma causa. A Margarida Vila-Nova cantou com a Margarida Pinto este "Apontamento" penso que logo no primeiro programa. Cantaram muito bem e foram passando e chegaram à final, onde perderam para a Joana Solnado que cantava já não me lembro com quem. Sei que a causa vencedora, a defendida pela Joana Solnado, era de uma rapariga de 18 anos que teve de deixar de estudar para poder trabalhar e ajudar os pais. Ainda assim acabou o 12º ano, a estudar à noite. Para estudar para os testes, e porque tinha irmãos pequenos e barulhentos, ela levava os cadernos e livros para a casa-de-banho. Ganhou 100 mil euros e foi para a Faculdade. (E sim, este programa era para puxar a lágrima, mas pronto, eu sou assim lamechas e pelo menos deram o guito a alguém que precisava...).
Aqui fica este magnífico Apontamento. Meus senhores e minhas senhoras, Margarida Pinto:



A minha alma partiu-se como um vaso vazio.

Caiu pela escada excessivamente abaixo.

Caiu das mãos da criada descuidada.

Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso.

Asneira? Impossível? Sei lá!

Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.

Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir.

Fiz barulho na queda como um vaso que se partia.

Os deuses que há debruçam-se do parapeito da escada.

E fitam os cacos que a criada deles fez de mim.

Não se zanguem com ela.

São tolerantes com ela.

O que era eu um vaso vazio?


Olham os cacos absurdamente conscientes,

Mas conscientes de si mesmos, não conscientes deles.

Olham e sorriem.

Sorriem tolerantes à criada involuntária.


Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas.

Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros.

A minha obra? A minha alma principal? A minha vida?

Um caco.

E os deuses olham-no especialmente, pois não sabem por que ficou ali.

(Álvaro de Campos, 1929)

18 comentários:

Verónica disse...

Gostei do novo visual ;)

Ianita disse...

:) Ouve a música, acho que vais gostar.

Kisses

@me@@@ disse...

gostei da letra, muito mesmo... quanto à voz dela não posso dizer o mesmo.... e já agora gostei do look novo!!!!










:-)

Ianita disse...

:)

Eu também sou esquisita para vozes femininas... mas gostei da forma como ela deu a volta a um poema triste e o fez quase alegre...

Mas gosto principalmente de ver que o meu Nandinho continua vivo, a respirar por entre estas palavras tantas vezes ditas e repetidas... Gosto disso. Muito.

Kisses :)

Dawa disse...

A Margarida Pinto tem uma voz de deusa. Tenho algumas musicas dela.
Boa escolha!
Beijinhos

Verónica disse...

Gostei da sonoridade ;)

Ianita disse...

é isso... acho que não estaria à espera de ouvir um poema do Pessoa cantado assim. A maneira dela cantar é diferente e a sonoridade também não é comum... gostei da volta que ela deu ao poema. Surpreendeu-me.

Mas não conheço mais nada dela. O que sugeres Dawa?

Kisses

bono_poetry disse...

...eu sou um gajo que adora musica e esta miuda e um estrondo...amei a musica ...ela e simplesmente maravilhosa ...nao e nada facil cantar assim...tenta la cantarola-la...e mesmo muito dificil...gostei...um bom weekend para ti...ve la que ja acordei...dormir nao e mesmo comigo!!!

Ianita disse...

Eu só conheço esta, mas vou tentar descobrir mais :) gostei da diferença.

Quanto a dormir... eu adoro dormir!! 10, 11, 12 horas!! Muito bom!! :)

Kisses

Lita disse...

Gostei!
E também do novo look!
Bjos

Ianita disse...

Beijinhos e Bom fim-de-semana!!

(Obrigada)

Kiss

u João disse...

Olá Ana! excelente voz, numa difícil interpretação, de um poema que gostei.
Só mesmo uma voz com este tipo timbre é capaz de o fazer, porque Fernado Pessoa não tem nada de musical. Mas, gostei bastante, uma boa descoberta que desconhecia :)
beijo

PAULO LONTRO disse...

Ainda bem que não pensamos todos da mesma maneira.
Acho mais feliz a voz do que a adaptação da letra.
Gosto deste tipo de voz, mais original, gosto da voz dos Clã e dos Entre Aspas, talvez por isso...

Anita :) disse...

a letra é fantástica obviamente mas, tb gostei do som!!

Beijinho

Ianita disse...

João: Bem... Pelo menos gostaste de um poema do Pessoa. Nada mau, hein? Mas discordo. Acho os poemas, nomeadamente do Álvaro de Campos, muito musicais. :)

Paulo: Gostei da volta que ela deu ao poema, mais no sentido da sonoridade que lhe deu, tornando quase alegre um poema que é extremamente triste e desesperado, como a maioria dos poemas do Campos. Não esperaria ver um poema destes cantado assim. Mais, não esperaria vê-lo cantado assim e gostar :)

Sou muito esquisita com vozes femininas, a maioria irrita-me e não consigo ouvir mais que uma música seguida, principalmente se a cantora for daquelas que manda uns guinchos pelo meio tipo Adelaide Ferreira ou Celine Dion. Detesto.

Gosto muito da energia da Manuela dos Clã. Gosto muito da rapariga dos Dona Maria. Gosto da Simone e pouco mais. Acho a voz masculina mais melodiosa, mais bonita, mais forte, menos irritante :)

Kisses

Anita: Quando música e letra se unem assim é difícil que nos passe despercebido. :) Kisses

IandU disse...

Já conhecia as Músicas da Margarida Pinto, tem mais uma que me identifico bastante, só não sabia a letra era de Fernando Pessoa :)

Beijinhos

Ianita disse...

E é lindo, não é? :)

Kisses

IandU disse...

Ianita: Se é :P

Beijinhos