13 de junho de 2009

do 13 de Junho

Hoje é dia de muitas coisas... dia de Santo António... o de Lisboa ou de Pádua, isso pouco importa. Se é casamenteiro ou não, também pouco importa. Importa a paz e a serenidade que traz a quem o tem como padroeiro e protector.

Faz anos o nosso Fernando Pessoa. Génio. Poeta. Aquele que tão pouco viveu. Viveu na escrita.

Lembro ainda aquele que faz hoje anos que morreu... António Variações. O que viveu. A intensidade. As ganas. A fúria. A força.

Tenho muita pena que os génios sejam tão infelizes... podiam ser menos génios... podiam ser "só" extraordinários e viver um pouco mais. Como o Variações. Foi "apenas" extraordinário. E enquanto que no Pessoa lemos a infelicidade que foi a maior parte da sua vida, ou lemos reflexos dos sonhos que ele jamais concretizaria, em Variações lemos vida.




vou viver
até quando eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver,
amanhã, espero sempre um amanhã
e acredito que será mais um prazer


e a vida é sempre uma curiosidade
que me desperta com a idade
interessa-me o que está para vir
a vida em mim é sempre uma certeza
que nasce da minha riqueza
do meu prazer em descobrir

encontrar, renovar, vou fugir ou repetir

vou viver,
até quando, eu não sei
que me importa o que serei
quero é viver
amanhã, espero sempre um amanhã
eacredito que será mais um prazer

13 comentários:

TM disse...

Ups será por isso que os burrinhos são tão felizes?

ianita disse...

TM: O Pessoa dizia que queria ser inconsciente e ter a consciência disso... queria ser como o gato, servo das leis fatais... ou como a pobre ceifeira que canta, sem saber a sorte que tem... porque pensar incomoda como andar à chuva. :)

Ele não deixa de ter um pouco de razão. Aprendi com ele a não problematizar tanto... há alturas em que simplesmente temos de nos deixar ir... sem pensar... isso ele nunca soube fazer.

:)

Joni disse...

Porque será que os génios são infelizes; se calhar porque vão mais além da trivial existência.
Gosto do santo casamenteiro, agora:fiquei comovido com a homenagem ao António Variações (pena que a música não seja cantada por ele no clip) mas ainda assim, ele continua bem presente entre nós.

Um aparte: notei com agrado que não escreveu "comemorar a morte de..." como já li em alguns sítios. Porque a morte pode ser o destino fatal, mas nunca é para comemorar.

Mag disse...

Excelente lembrança, a de recordar estas datas, Ianita!
Beijo

Rice Man disse...

O Fernando Pessoa fez anos ontem!? Bolas!... Se eu soubesse tinha andado com a minha t-shirt dele e dos seus heterónimos como homenagem (e todas as desculpas para isso são boas mas esta era ideal! :P).

Ainda ontem vi um documentário sobre um miúdo indiano que era considerado um génio e o coitado já estava a sofrer as consequências da pressão que faziam sobre ele e que ele fazia sobre si próprio.
Há quem diga que o coração (especialmente dos mamíferos) tem um número pré-determinado de batidas e é por isso que os animais grandes, cujo coração bate mais devagar, vivem mais tempo que os animais mais pequenos, cujo coração bate muito mais depressa. Às vezes penso que talvez o cérebro funcione da mesma maneira... E como os génios o usam muito mais que uma pessoa vulgar, também o consomem muito mais depressa. Mas se calhar é também por isso que os génios, os que fazem a diferença, 'ganham' mais tempo de vida ao ficarem para a história. :)

Sayuri disse...

Grande Variações!
Grande Pessoa!
Grandes músicas!
Grandes escritas!

ianita disse...

Joni: tal como o Pessoa, o Variações deixou muitas coisas inacabadas. Nem tudo o que o Pessoa escreveu está publicado, assim como nem tudo o que o Variações escreveu está cantado...

Escolhi esta música precisamente porque mostra que o Variações ainda vive. Vive na música que nos deixou... vive nos Humanos que fizeram um cd com as músicas que ele escreveu, mas não teve tempo de editar. Esta é uma delas... com uma letra fantástica, cheia de força, escrita nos últimos meses da sua vida... na voz também imortal do Camané.

E quis aqui comemorar a vida, nunca a morte.

Beijinhos

ianita disse...

Mag: :)

Mr. Rice: era, ipso facto, uma grande oportunidade!!!

É verdade o que dizes... o Pessoa é imortal... não vai morrer nunca. Ainda assim, o meu lado mais romântico gostava que aquele que me dá tanto prazer ler e conhecer tivesse sido um pouco feliz... e tivesse dado mais beijos na boca à Ofélia em vez de andar sempre indeciso. Gostava que, pelo menos uma vez, ele tivesse dado o salto de fé. Nunca deu... talvez por isso os seus poemas sejam tão bonitos... porque ele era problemático e nunca se curou :)

Beijinhos

ianita disse...

Sayuri: Grandes mesmo! :) Enormes!

Luisa Moreira disse...

Grande lembrança, bela associação!
Beijinhos

lilipat2008 disse...

Génios que merecem todos os tributos que se lhes faça...:)

bjs

MarYland disse...

É um (sincero) prazer ler o teu blog.
Beijinhos

ianita disse...

Luísa: são muitas coisas no mesmo dia, não é? :)

Lilipat: merecem mesmo... tão diferentes... e unidos num mesmo dia. :)

Mary: eu às vezes esqueço-me que há pessoas que sabem muito a ler este blog... perdoa-me qualquer blasfémia que eu vá cometendo... :) Beijinhos!