6 de junho de 2009

Obrigada

Obrigada à Manuela por ter vindo a Portugal e por me ter dado dois dias do seu tempo.

Obrigada à amizade que é tão forte que nem parecia que não nos víamos há mais de um ano.

Obrigada à cidade que nos recebeu de braços abertos.

Obrigada às pessoas... Obrigada aos lugares, aos sabores... Obrigada a tudo, ao Universo que fez com que tudo se conjugasse para que fosse perfeito.

Obrigada pelo jantar de sexta-feira, feito de conversa parva e fútil e profunda. Cheio de boa comida e boa bebida e de excelente companhia. Boas energias que fluiram e se reflectiram em gargalhadas noite fora. Obrigada.

Foram dois dias de muitas emoções. O reeencontro difícil com a pessoa que mais me conheceu. Difícil pelo medo de as coisas não serem como eram, de a distância nos ter estragado. Não estragou e foi muito bom perceber isso.

Muitas compras... muita comida boa. Muita bebida. Muito riso. Muito carinho. Muitas histórias. Muitas asneiras. Muitas coisas que vão ficar entre nós para sempre. Uma amizade que sai fortalecida...

Uma sandes gourmet no Largo Luís de Camões... a minha de presunto com azeite de amêndoa e um refresco de amêndoa e hortelã. Ela, uma sandes de pasta de sardinha e pimento e uma limonada. Ali sentadas... vendo a cidade fluir através de nós, à nossa frente... Sorriso.

Choro na Casa Fernando Pessoa... caminhando por onde ele caminhou... ver o registo escolar dele... ver que era excelente em Latim e very good indeed a Matemática e a Português... ver que ele fez um contrato de arrendamento entre ele mesmo e o Caeiro... ver que tudo está ali tão bonito, tão organizado, tão tudo, e é grátis. Mais lágrimas quando me sento ao lado dele na Brasileira...

Mais lágrimas ao ouvir Amália entoada pelas ruelas do Chiado.

Lágrimas contidas pela boa disposição das pessoas do jantar de ontem. Obrigada.

Lágrimas contidas hoje. Na despedida. No abraço apertado. Num... até pro ano. Até sempre... Até...

Foram dias de emoções muito fortes. Dias de pormenores deliciosos. Dias de descobertas. Dias de redescobertas. Dias de amizade. Daquela. Da verdadeira. Da que move montanhas. Obrigada.

E porque este post está demasiado sério... fica um dos pormenores que a minha lente captou :)


16 comentários:

Sayuri disse...

De facto, a vida só pode ser boa! Tirar o proveito de todos os momentos que vivemos é uma regra de ouro para vivermos satisfeitos connosco próprios. Obrigada por partilhares a tua viagem à minha bela Lisboa! Obrigada por partilhares o jantar de 6ªf, que (por sinal) deve ter sido uma animação só! ;D

Rice Man disse...

Esqueceste-te de agradecer a ti própria... porque muito do que recebeste nesses dias foi uma parte de algo que tu espalhas por todo o lado, todos os dias. :)

ianita disse...

Sayuri: só não podemos que a insatisfação humana que nos corre nas veias nos desvie o olhar das coisas maravilhosas que nos acontecem... só assim posso dizer que sou feliz. Muito feliz. Não quer dizer que tenha tudo o que quero, que não tenho. Não quer dizer que esteja satisfeita, que não estou. Quer só dizer que valorizo o que tenho e sorrio pelo caminho caminhado. :)

O que para mim vale muito é ter com quem partilhar sorrisos. Alegria. Pequenas coisas que fazem a diferença. E por isso o meu obrigada... a tudo... a todas as pessoas que tornaram o meu sorriso tão fácil (vá! Às caipirinhas também... eheheheh).

Beijinhos

ianita disse...

Mr. Rice: what goes aroud comes around?

Se é isso..fico muito feliz... mesmo.

Kisses

spritof disse...

bem... que bem sabem esses encontros... reencontros...

É verdade que só os verdadeiramente gozamos quando nos libertamos, quando deixamos fluír o que sentimos.... quando deixamos de nos preocupar com o "se" e as aparências inúteis, com as distâncias, com o que poderá ser mas não é, com a estupidez dos outros, com os feitios que nos aborrecem, ...o momento que vivemos é tudo o que temos daquele instante, e há que tirar-lhe o proveito, ou mais vale não aparecer de todo.

Entretanto, estou cansado de Lisboa, por razões que nada tém a haver com a cidade em si, e esta tua partilha restituiu-lhe o valor devido. Até fiquei com saudades...

ianita disse...

Spritof: a distância pode prejudicar muitas coisas... pode estragar relações... eu temia isso.... são dois anos e meio, com uma visita de meio dia no ano passado...

Este ano foi diferente e deu para ver que o que nos unia continua lá. Amizade pura e forte.

E foi muito muito bom...

Lisboa... recebeu-me tão bem que não poderia falar dela de outra forma. O tempo dá perspectiva a tudo, não achas?

Kisses

Lita disse...

Com a tua energia e boa disposiçao,a tua sensibilidade para a beleza, a história, a amizade, nao poderia ser diferente. Obrigada por tudo,por te lembrares de nós, pela companhia,pelas gargalhadas, enfim.... volta!!!!

ianita disse...

Lita: obrigada eu... do fundo da alma... por me fazeres sempre sentir bem recebida... por me fazeres sempre sentir que me vês... por me proporcionares momentos de simples felicidade.

Obrigada.

(e sim, eu volto!)

Joni disse...

Partihar a amizade, é o que permanece.

ianita disse...

Joni: sim... é o que permanece.

spritof disse...

...sim, o tempo muda-nos a perspectiva... concordo!
:)

ianita disse...

Spritof: há quem diga que é a velhice, eu digo que é o tempo :) o tempo dá perspectiva a tudo e ainda bem.

:)

lilipat2008 disse...

O outro dizia que a vida é feita de encontros e desencontros, e eu acrescento reencontros...:)...tão bom...:)

bjs

ianita disse...

Lilipat: sim... encontros... desencontros... e reencontros :)

Muito bom mesmo!

Kisses

IandU disse...

Não cheguei a ir ver a casa do Pessoa, mas lá terei que ir, depois desta tua descrição fiquei curioso :P

ianita disse...

Iandu: eu amei! :)

(e aproveita e experimenta o bolo de chocolate... mais ao fundo da rua)