20 de julho de 2009

Dos contos de fadas e outros demónios

Sou menina de saber as regras dos sinais de pontuação. Sou menina de saber as regras para citações e indicações bibliográficas.

Mas, na maioria das vezes, mesmo sabendo que deveria pôr ali uma vírgula, escolho não a pôr. Porquê? Não sei... porque não me apetece ou simplesmente porque acho que sem a vírgula aquilo que eu quero dizer fica mais claro.

Gosto de reticências e de pontos de exclamação. Gosto pouco de vírgulas. Gosto de notas de roda-pé e de asteriscos (ou ex-teriscos eheheh*). Porque as notas de rodapé e os asteriscos explicam o que não está explicado no texto. É como sublinhar as entrelinhas... um abre-olhos... um chamar de atenção para algo que é importante.

Acho que os escritores usam pouco os asteriscos e as notas de rodapé. Esperam sempre que nós saibamos ler nas ditas entrelinhas... e muitas vezes não sabemos. Não nos passam um atestado de literacia... dizem que sabemos ler porque sabemos juntar as letras que formam palavras... mas entoar palavras não é ler... ler é entender... e onde está escrito que sabemos efectivamente ler?

E assim, porque alguém (ou muitos alguéns) decidiu que os leitores sabiam ler e interpretar, temos as livrarias cheias de livros sem asteriscos e notas de rodapé.

Não seria bom abrir um conto de fadas e ver um asterisco ao lado do "e viveram felizes para sempre"? E depois vínhamos ao fundo da página e líamos qualquer coisa do tipo "isto é uma obra de ficção, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência". Não era melhor?

Assim, vivemos num mundo cheio de homens e mulheres à espera de príncipes e princesas. Homens e mulheres à espera de um feliz para sempre que não existe. À espera que alguém os salve de si-mesmos. Abaixo os contos de fadas!!

Não existem super-heróis com super-poderes. Não existe "felizes para sempre" como toque de mágica. Não existe o "feitos um para o outro". Não existe o "amor à primeira vista". O que existe é um amor construído. O que existe são relações feitas de cedências de parte a parte. O que existe é uma felicidade que se tem de conquistar, a cada dia. Nada cai do céu. Os nossos salvadores somos nós-mesmos.

Caramba! Não podemos deixar de sonhar nunca! Mas viver nas nuvens já é ilusão... querer um conto de fadas é ilusão e querer sofrer... porque obrigatoriamente (e eu sei que devia estar entre vírgulas, mas não me apetece!!) quem vive nas nuvens, cedo ou tarde, cai de lá. Temos de parar de esperar pelo D. Sebastião ou pelo príncipe que vem no cavalo branco e acordarmo-nos a nós-mesmas do nosso sono e salvarmo-nos a nós-mesmas da torre mais alta... e fugirmos nós do dragão cuspidor de fogo... e lutarmos nós contra os exércitos inimigos.

Sou a favor do sonho, desde que o sonho não nos impeça de viver. Eu gosto muito de voar até às nuvens, mas mantenho a pontinha do dedo do pé no chão... porquê? Porque nunca fui mulher de me desculpar com os outros. Nem nunca fui mulher de fazer depender a minha felicidade de príncipe nenhum. Nem sou mulher de muitas lamentações. Não precido de noites de nevoeiro nem de príncipes em cavalo branco. Não preciso de ser salva.

*o meu maninho querido tem saídas assim fantásticas!! :)


16 comentários:

lilipat2008 disse...

Há que saber viver e saber sonhar...concordo em absoluto...:)

bjitos

Sayuri disse...

Concordo! Já fui menina de principes encantados (nunca me interessei muito pelo D. Sebastião, sinceramente, eu era mais pricipes montados a cavalo...), já sonhei muito, e já me espalhei à grande, várias vezes!
Se já me curei? Luto pela cura. Continuo a gostar de sonhar, mas já não gosto de viver a sonhar...Limito-me a aproveitar um dia de cada vez e tudo o que tem de melhor.
(Estou a ver que os The Killers têm discografia suficiente para ilustrar uma quantidade de posts :D)

Brigitte disse...

Eu cá tb adoro as ..... dá continuidade.....

:)

Verónica disse...

Acabei de rever, pela .... vez (nem sei), o episódio do Seinfeld sobre os pontos de exclamação, lindo, lol

Zabour disse...

Quem ainda não sonhou com o seu principe encantado atire a primeira pedra...

Beijinhos amiga

ianita disse...

Lilipat: acho que os sonhos não devem ter limites... mas no que toca ao que esperamos dos outros, devemos ter os pés no chão. Porque se não somos perfeitos, temos de pensar que os outros também não são...

Beijos :)

ianita disse...

Sayuri: se eu não sou como as princesas dos contos de fadas, por que deveria querer e esperar um príncipe de conto de fadas?

Não quero a perfeição. Quero a imperfeição que encaixe na minha imperfeição.

E as torres em que vivo... só eu tenho o poder de me tirar de lá...
e o segredo estará talvez nisso que dizes... em viver cada dia.

Beijo
( e sim... os killers... continuo obcecada!!)

ianita disse...

Brigite: adoro reticências.... fica tanto por dizer... tanto por adivinhar... :)


Verónica: não estou a ver qual é..... :/

Zabour: eu já sonhei... e às vezes ainda sonho. Mas admito que a culpa é dos livros e do cinema e da porcaria do "e viveram felizes para sempre"!! Quem não quer um felizes para sempre?? Estou farta... Abaixo as histórias da carochinha! Abaixo os contos de fadas!! Quero pessoas a sério, com vida a sério e com sentimentos a sério!

Isandes disse...

bem visto. e ainda bem k isto não é 1 conto de fadas, as suas personagens são quase sempre planas... boring! *

ianita disse...

Isandes: só tenho pena dos anos que demorei a perceber isso... que os contos de fadas não têm piada nenhuma!! ;)

Kisses

dina disse...

nã, nota de rodapé a explicar que "viver felizes para sempre" não acontece na realidade não me parece nada bem. afinal quem lê histórias quer mesmo sonhar e não ser acordado a meio do sonho.
eu tenho uma irritação tremenda quando vou ver um filme de acção e tenho o meu "engenhero" ao meu lado a dizer " o avião não pode levantar assim", "é impossivel aquele composto", "um guindaste não pode ter aquele formato", "aquele avião não existia naquela época" ... que me interessa a mim se existia ou não, se é possivel ou não?
eu vou ver o filme para acreditar em tudo :D
mas gosto de notas de rodapé para explicar factos históricos ou indicar onde foram tirar as informações :D

ianita disse...

dina: enquanto estou a ler ou a ver um filme também gosto de entrar na história, confesso... mas uma coisa é acreditar enquanto se está a ver e outra diferente é assumir que tudo é verdade e querer aquilo para a nossa vida...

O problema dos contos de fadas é que nos são lidos desde que nascemos... e queiramos ou não, aquilo fica-nos entranhado... com aquele espírito cristão de esperar que venha Cristo para nos salvar... as meninas aprendem a serem prendadas e a ficarem à espera que o príncipe as salve... e só depois de casarem é que são felizes para sempre...

Estou farta! :)

IandU disse...

Gosto, de, tudo, menos, reticências ., ., .,. Uso ao mínimo :)

ianita disse...

Iandu: deixam muito à imaginação, não é? :D

............

IandU disse...

Eu como consigo deixar muito à imaginação, sem reticências, não sei como te poderei responder :P

ianita disse...

iandu: eu entendo.... mas.... :)