17 de fevereiro de 2010

Viagem ao passado

Ayamonte. Ayamonte de irmos de barco. Ayamonte de o barco cheirar mal.

É o que mais me lembro. Do cheiro do barco. E dos caramelos de pinhão que invariavelmente trazíamos connosco. Não me revi em nenhum local de Ayamonte. Não reconheço nada. Nem o barco, que me parece muito pequeno (e se calhar até é). Se bem que tenho fotos tiradas em alguns daqueles lugares. Mal vi aquela praça lembrei-me de algumas fotos. Mas não tenho memória de as tirar.

É engraçada a memória. Embora não me lembrando de nada, Ayamonte é um local que me faz sorrir e me faz sentir bem. Certamente era feliz nos dias em que ali ia. Não ficaram memórias de ruas nem de lugares nem de cheiros e muito menos de sabores, mas ficou a sensação de bem-estar.






4 comentários:

Sayuri disse...

Ayamonte???
Calamares!!!
:D

bono_poetry disse...

giro,e mesmo gira a vida...a minha maezinha educou e proporcionou uma infancia muito feliz aos filhotes,e como ficou viuva muito cedo,teve algumas dificuldades e lembro perfeitamente das viagens de pequeno contrabando a ayamonte pra ganhar uns trocados e os caramelos...adorava...

Anjo De Cor disse...

Não conheço Ayamonte, mas gostava confeso que sim....
Bonitas fotos ;)
Beijinhos*

Rui da Bica disse...

Tenho a impressão que já não vou a Ayamonte desde antes de 74 !
Já nem me lembro de como era. Só de ir lá comprar algumas guloseimas quamdo em férias no Algarve !
.