30 de setembro de 2008

Jane Eyre, outra vez

Sou uma choramingas. Facto.

Choro pouco. Facto.

Ontem chorei. Facto.

Choramingo muito, mas choro pouco. Ainda bem? Pois não sei. Sei que ontem chorei. Ontem, vi o último episódio de Jane Eyre e chorei. Mas chorei a sério. Um rio de lágrimas que só parou com o genérico. Lágrimas a sério, que brotavam dos olhos à dezena de cada vez. Lágrimas que lavam a alma. Lágrimas de catarse, de libertação.
Não me lembro de chorar ao pé da TV. Choramingar sim. Choramingo a ver a Anatomia de Grey. Uma ou outra ocasional lágrima, sim. Mas chorar... chorar não. É o que o Romantismo me faz.... O Romantismo de que tanto gosto e que ficou encerrado no meu passado.... e nas prateleiras do meu quarto, do hall, da sala...
Não leio o Monte dos Vendavais desde os meus 15 anos. Embora tenha 3 edições do livro. Comprei o DVD, nunca o vi.
Não leio o Jane Eyre desde os meus 15 anos. Tenho duas edições: uma em português e uma em inglês.
Camilo? Adoro. Desde a Faculdade que não leio nada, embora me tenha dedicado a coleccionar as obras dele que já ocupam duas prateleiras lá em casa. O Amor de perdição? Desde os meus 15 anos que não leio...
O que aconteceu nos meus 15 anos? Ontem reflecti sobre isso... Por que é que desde os meus 15 anos que não leio nada do Romantismo? Acho que foi nos meus 15 anos que me apaixonei pela 1ª vez. Mas daquelas paixões do Romantismo: muito platónicas e daquelas à primeira vista. Diria um daqueles psicólogos que vai à TV que larguei o meu mundo dos livros e entrei no mundo a sério. Será?
Percebi ontem que me faz falta. Faz-me falta entrar no Romantismo dos livros. Sorrir e chorar com os livros e lavar a alma. Qual Eça, qual Milan, qual Umberto... Preciso de Camilo como de ar para viver. Preciso de Heathcliffs e de Rochesters e de Joaninhas e de Pedros e Inês...
Decidi ontem que vou procurar as minhas edições antigas, tirar-lhes o pó e ler, ler, ler, ler e ler.... e pode ser que encontre uma razão para deixar de ler.
Sou um bocadinho parva? Facto. :)

12 comentários:

Lita disse...

Gostei do teu texto. Eu também sou uma romântica, não muito assumida, mas cada evz mais. Sim, gosto muiiiito de histórias de amor.
Beijinho

Ianita disse...

Mas eu sou parva porque gostos das histórias de amor que acabam mal :)

Não gosto de mundos perfeitos. Gosto de mundos reais. Mundos literários que são piores que o meu mundo verdadeiro. Mundos alternativos onde não me revejo. Mundos de sentimentos tão reais que não existem.

Gostava de um dia ter um Heathcliff ou um Pedro na minha vida. Melhor... um Rochester... menos trágico... mais possível. :)

korrosiva disse...

A literatura leva-nos para onde a nossa imaginação permitir.. e apesar de todas as historias romanticas de amores e desamores, nos soltarem um suspiro, nada se compara á propria vivencia.

Amor sim! Muito!
...mas ao vivo e a cores ;)

Ianita disse...

Mas a catarse faz muito bem à alma. Liberta-nos e exorciza-nos. Faz-nos ver quem realmente somos e, por isso, faz-nos melhores seres humanos.

Por isso é que Aristóteles diz que a tragédia é o género maior: porque é acção e, pela acção dos outros, revêmo-nos, olhamos para dentro, e dá-se a catarse.

:)

Verónica disse...

Tinhas de arranjar maneira de falar no Eça. No comments ;)

Raquel disse...

Eu até com novelas :) lolll
im, admito, papo-as quase todas, e daquela maneira em que acho mesmo que o ppl já faz parte lá de casa, ah pois é!!!!

Ianita disse...

Falo do Eça, do Milan Kundera e do Umberto Eco porque são os autores dos livros que tenho em mãos neste momento. Os que estão na minha mesa de cabeceira.

E falei no Eça, como nos outros, porque nenhum deles é do Romantismo. E falei neles porque decidi largar tudo o que estava a ler, até ontem, para regressar ao meu Romantismo, para regressar a casa.

Raquel: confesso que já choraminguei numa ou outra novela, mas chorar não.

:)

Raquel disse...

Pois amiga, mas eu sou uma choramingas do pior... imagina que chorei ao ler Os Maias... quando o Afonso morre (acho que no jardim)!!!Sim, digo acho porque apesar de ter lido esse livro 6 (SEIS) vezes, já foi há uns bons aninhos :)

Ianita disse...

Pois a mim o Eça não me seduz em nada. Nem me comove.

A minha onda é mais Romantismo. Ultra-Romantismo só às vezes, mas Romantismo....

Não dou estes anos como perdidos. Andei a descobrir outras coisas. Mas só ontem percebi que é mesmo aquilo que me faz vibrar e descobri, principalmente, as saudades que eu tinha de me entregar assim.

O bom filho à casa torna e eu vou voltar à minha. Tenho é de descobrir onde é que os livros andam (é por nunca saber que tenho milhentas edições repetidas). :)

Isandes disse...

Também gostei da Jane Eyre; não conhecia. Mas não verti nadinha...

Jorge Rita disse...

Também comecei a ler o Camilo! "amor de perdição" Estou farto de ouvir falar do Camilo! De quando em vez lá vou á casa de Camilo a Seide fazer um trabalho qualquer(aconselho a visita) e um dia destes dei comigo a pensar"olha nunca li nada deste gajo". Comecei ontem!

Ianita disse...

Isandes: pois... :)

Jorge: visita que eu nunca fiz... está em falta.

Do Camilo, para não pensares que é tudo amor, aconselho "A queda de um anjo". Boa leitura (depois conta o que achaste) :)