16 de outubro de 2008

Na terra dos sonhos


Andava eu sem ter onde cair vivo

Fui procurar abrigo nas faces estudadas do senhor Doutor

Ai de mim não era nada daquilo que eu queria

Ninguém se compreendia e eu vi que a coisa ia de mal a pior


Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal

Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual

Na terra dos sonhos não há pó nas entre linhas, ninguém se pode enganar

E abre bem os olhos, escuta bem o coração se é que queres ir para lá morar


Andava eu sozinho a tremer de frio

Fui procurar calor e ternura nos braços de uma mulher

Ai! Mas esqueci-me de dar-lhe também um pouco de atenção

E a minha solidão voltou, não me largou a mão um minuto sequer


Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal

Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual

Na terra dos sonhos não há pó nas entre linhas, ninguém se pode enganar

E abre bem os olhos, escuta bem o coração se é que queres ir para lá morar


Se queres ver o mundo inteiro à tua altura

Tens de olhar p´ra fora sem esquecer que dentro é que é o teu lugar

E se às duas por três vires que perdeste o balanço

Não penses em descanso, está ao teu alcance tens de o encontrar


(Jorge Palma)

Dizia eu uma vez à minha sobrinha que quando escrevia podia ser quem quisesse. As nuvens podiam ser verdes e o sol lilás. Ela olhava-me com um ar estranho, como se eu estivesse a dizer coisas sem sentido... A verdade é que nem nos sonhos podemos fugir de nós mesmos. A nossa escrita reflecte irremediavelmente quem somos e os nossos sonhos também. Na terra dos sonhos posso ser quem quiser, e ninguém me poderá levar a mal, é facto. Prefiro a pior das realidades ao melhor dos sonhos. Mas... a vida sem sonhos não faz sentido. Os sonhos fazem o Mundo avançar. Eu quero que os meus sonhos façam o meu mundo avançar, mas não quero que me afastem daquilo que é a realidade e do que é de facto importante para mim. Às vezes um sonho é isso mesmo, apenas um sonho. E está bem onde está, na Terra dos Sonhos.


14 comentários:

Verónica disse...

"A nossa escrita reflecte irremediavelmente quem somos..." Nem mais, tive essa prova ainda ontem ;)

olgacruz disse...

“O sonho comanda a vida”, nunca te esqueças!

Se não tiveres sonhos, vais viver para quê?
São os nossos sonhos mais íntimos que mais tarde se tornam em objectivos, aqueles para os quais batalhamos todos os dias… e depois de tornar realidade aquele sonho, vamos arranjar outro sonho, mas nunca, nunca deixar de sonhar!

Podemos entender isto de uma forma mais romântica ou de uma forma mais racional, mas o sonho está lá sempre…

A tua sobrinha, por exemplo, de quem falaste, tem o sonho de ir aos Jogos Olímpicos a Londres… e ela todos os dias trabalha para concretizar esse sonho… e não deixa de ser um sonho até ao dia em que se torne realidade! Quando esse dia chegar, outro sonho virá (aquele que se calhar vai parecer tão longínquo como inalcançável…) …

Quanto à escrita, essa só vem eternizar aquele momento, aquele pensamento, aquele sonho... fica o registo físico, o reflexo da nossa mente...

Muitos beijinhos,

Ianita disse...

Sim... o que eu queria dizer é que temos de saber distinguir os sonhos realizáveis dos outros. E é preciso também saber quando abandonar um sonho que nos impede de viver...

Foste uma das pessoas que mais me apoiou quando desisti de dar aulas. E, nesse dia, abandonei o maior sonho que alguma vez tive. Continuo a achar que fiz bem, descansa. :)

Os sonhos são diferentes... há os que nos fazem avançar (como o sonho da Sara) e há os que nos prendem ao passado e nos impedem de crescer (como o meu estava a ser...).

Acredito nos sonhos e não abdico deles. Mas a vida ensinou-me que nem todos os sonhos se podem concretizar e é prova de maturidade saber quando abandoná-los e seguir em frente, em busca de um outro sonho. É nesta fase que estou agora... em busca de novos sonhos que preencham o vazio daquele que foi embora.

Kiss

Verónica: A escolha de uma palavra em detrimento de outra encerra sempre subjectividade... principalmente em prosa. É por isso que o Pessoa só tem heterónimos em poesia, na prosa tem semi-heterónimos, porque não consegue nunca mudar o estilo completamente... Beijo :)

Ianita disse...

Ah! E parabéns ao meu querido cunhado, que para mim é como um irmão (e não é treta porque fruto de a minha irmã ter começado a namorar muito cedo e de ser muuuuiiiito mais velha que eu, eu não me lembro da minha irmã sem o Nuno, que começou a fazer parte da minha vida aos meus 6 anos.)

40 Primavera :) PARABÉNS!

olgacruz disse...

Quanto aos sonhos tens razão.

Quanto à minha idade... vais levar um tiro! Não sou assim TÃO mais velha!

Quanto ao teu cunhado, sim já entrou nos "entas"...

Quanto a ele ser como um irmão... enfim, só se for mesmo para ti... é que eu tenho uma filha com ele, lembras-te?

Ehehehdeh!

Bjs,

Ianita disse...

Croma! :)

u joão disse...

Olá!Jorge Palma companheiro de estrada, sabe do que fala.
"I have a dream.." sem sonho não existe vida, penso eu de que, loll
Aliado à racionalidade, o sonho tem os condimentos para tornar a vida muito mais bonita.Escrever pode fazer parte desse sonho, porque talvez seja o encontro connosco.
Beijo

Ianita disse...

Um encontro connosco, nem mais. Uma forma de organizar pensamentos e sentimentos...

O segredo está na harmonia entre sonho e realidade, o equilíbrio perfeito. :)

I have a dream too! :)

Kiss

Anita :) disse...

às vezes é saudável esquecer , fugir um pouco da realidade e, embarcar apenas na nossa imaginação:)

Ianita disse...

Desde que a viagem tenha volta, eu embarco :)

Brigitte disse...

Bom Fim de Semana
uma beijoca
:)

Ianita disse...

kiss

Jo disse...

"Às vezes um sonho é isso mesmo, apenas um sonho. E está bem onde está, na Terra dos Sonhos."
Atingida como se tivesse levado um tiro... palavras tão certas que até doem...

bjinho

Ianita disse...

Custa muito muito muito tomar consciência disto... Dói na pele, no coração, na alma... mas é uma dor necessária.

Força. Kiss