23 de maio de 2009

As Amoras

O meu país sabe as amoras bravas
no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

(Eugénio de Andrade)

9 comentários:

izzie disse...

Eugénio... boas memórias (agora!)
E amoras... tu quiseste foi adoçar-me o fim-de-semana :)

Beijo,

ianita disse...

Izzie: foi só um relembrar que até as coisas más são boas :) mesmo a minha Pocariça. Kiss

Luisa Moreira disse...

É bom recordar Eugánio de Andrade, e amoras também.......

ianita disse...

Luísa: é bom recordar coisas boas :)

Rice Man disse...

Se ao menos as amoras fossem tão doces quanto essas palavras!... :)

ianita disse...

Mr. Rice: as amoras não são doces... doces são as memórias que nos trazem.

Joni disse...

Gosto muito do Eugénio Andrade, muito a propósito a foto. beijo

Anita disse...

olha, olha...um poema dedicado a mim eheheheh:))
Kidding:)

ianita disse...

Joni: eu tenho a mania de não dizer bem da minha terra... mas lá o céu também é azul :)

Anita: ah, pois é!! :) uma amora pequenita!! lol