14 de maio de 2009

A ilha do Arcanjo


Eu vos direi da ilha que na dorna
do Arcanjo é eterna em chão escasso.
Fulva de gado ao dia. À noite, morna.
Embebida no verde. E o mar colaço.

Ilhado alumbramento em templo torna
a unção de contemplar. Um ténue traço
de garça entre a água e céu. A paz encorna
em lagoa e lavoura o tempo e o espaço.

Tanto silêncio confiado à luz!
Treme um nenúfar se um grilo tremeluz.
Caiaram o sol de azul os agapantos.

Na cevadeira a broa luminosa,
romeiros nos persignam com uma rosa.
Suas rezas joeiram pombos santos.

(Natália Correia)

6 comentários:

Brigitte disse...

Tou deslumbrada com as tuas fotos!!!!

:)

Mag disse...

Ora seja muito bem-vinda de volta ao Cont'nente... :)
Beijoca

ianita disse...

Brigitte: tirei mais de 2 gigas de fotos... À volta de 600 :) acho que consegui ter poder de síntese LOL

Mag: obrigada! Kiss

Luisa Moreira disse...

Hummmmm Poesia e da boaaaaaaaaaaaa. Já te tinha dito, mas volto a fazê-lo, descreveste lindamente a ilha, quer por palavras, quer em fotos. Gostei bastante e fiquei com vontade de lá ir. O importante mesmo.........foi o teu descanso divertimento
Obrigada por tudo.
Beijinhos

Rice Man disse...

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras... Eu acho que depende das palavras. :)

ianita disse...

Luísa: ora essa! Quem agradece sou eu! Pela companhia e pelas palavras sempre simpáticas. Obrigada! :)

Mr. Rice: há quem tenha o dom da palavra. A Natália Correia era uma dessas pessoas e, sendo natural de S. Miguel, conseguiu retratar bem a sua ilha.