9 de junho de 2009

Não deixes para amanhã...

... o que podes fazer hoje. Ditado popular repetido até à exaustão pela minha mãe enquanto eu era miúda. Um daqueles ditados que servem para tudo... para quem estuda, para quem tem de limpar a casa, para quem tem algo a dizer, para quem tem algo a fazer.

Escusado será dizer que sempre o detestei. Quando eu dizia à boca cheia que tinha tempo, que não tinha de ir já, ainda faltava tanto tempo... e a minha respondia o tal "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje". Hoje entendo o que não entendia na altura... toda a sabedoria que aqui se encerra. O tempo passa depressa demais... quando menos esperamos, aquele amanhã longínquo já se transformou em hoje.

O amanhã nunca chega... podemos continuamente dizer amanhã... amanhã... amanhã... porque quando digo amanhã e amanhã é quarta-feira, entretanto quando chegar a quarta-feira já é hoje. É como Tântalo... que persegue e nunca alcança. Assim podemos continuar a empurrar com a barriga, à espera do amanhã que nunca chega... ou que quando chega já passou. Já passou a oportunidade de o mudar.

Não é amanhã que temos de fazer alguma coisa por este Planeta, por estas pessoas que connosco coabitam.

Não é amanhã que temos de comer melhor porque queremos uma velhice de jeito, caso lá cheguemos.

Não é amanhã que vamos mudar de vida se for uma mudança que queremos.

Não é amanhã que vamos dizer que amamos quem amamos... que nos faz feliz quem nos faz feliz.

Não é amanhã.

O tempo é hoje. Sem demasiadas ansiedades. Sem demasiadas pressas. Aproveitando o dia, o único que temos, o hoje. Mas sem esquecer o que queremos... sem esquecer de onde viemos e para onde vamos. Não adianta sofrer por antecipação, mas também não adianta chorar sobre leite derramado... e depois do tempo passado, aí sim, não há nada a fazer.

De que me vai adiantar chegar aos 60 anos e não ter qualidade de vida porque aos 30 não quis fazer dieta, porque "quando lá chegar logo se vê".

Só existe o hoje. O ontem vive hoje como vive também o amanhã. Os meus actos são condicionados pelo meu ontem e pelo amanhã que quero. Tomo os comprimidos que o médico me mandou tomar... e vou continuar a tomar, porque tem que ser. E hoje almoço uma sopa, não porque não me apeteça um bacalhau com natas, mas porque penso no meu amanhã. As minhas acções de hoje, embora não obcecadas, são sempre condicionadas pelo que fui e pelo que quero ser...

Vejo hoje o que nunca entendi. Temos de semear para podermos colher. Não é quando tivermos fome que vamos procurar os frutos. Temos de os semear hoje porque eventualmente amanhã teremos fome...

Hoje digo que vos amo! Família... com todos os vossos defeitos. Com todos os problemas... são a minha família. Amigos... são parte de mim. Amo-vos a todos. Hoje. E não vou deixar para amanhã o que sinto hoje. Amanhã será talvez tarde demais...


E porque amanhã vos quero aqui, comigo... porque amanhã quero colher... hoje semeio.

26 comentários:

Estreliña disse...

Uai, eu ía deixar para a amanhã o comentário a este post, mas interiorizei bem a mensagem do "não deixes para amanhã aquilo ke podes fazer hoje".

A propósito, tenho ke estudar, enviar uns emails, e arrumar o quarto. São 2h25 da matina. Não axas ke pode ficar para amanhã? LOL

Hoje mando-te um beijinho Grande!

;)

ianita disse...

Estreliña: se são 2:25 já é outro dia, mesmo que ainda vás dormir ;)

O que quero dizer é que devemos deixar de adiar o que é importante... deixar de empurrar com a barriga... deixar de tentar tapar o sol com a peneira... deixar de varrer para debaixo do tapete...

Mais dia menos dia, as escolhas que fazemos ou que escolhemos deixar de fazer vão bater-nos à porta... vão aparecer sem serem convidadas e vão dizer "então? vive-se ou não se vive?"

:)

Beijinho recebido e aceite e retribuído. Hoje.

:)

Mag disse...

Adorei a mensagem, porque sinto que vai um bocado de encontro à minha máxima "VIVE. HOJE."

Amanhã é outro dia, sim.
Hoje digo-te que te gosto de ler. Muito.

Kiss

ianita disse...

Mag: não sou formiga, mas também não sou cigarra. Não concebo a ideia de viver o dia como se o amanhã não existisse, porque existe.

Vivo o hoje, com sentido no ontem e olhos postos no amanhã. Foi por isso que deixei de dar aulas... a decisão mais difícil da minha vida. Mas... em consciência, olhos postos no futuro.

Acho que posso deixar a minha cama por fazer e fazê-la só amanhã... mas a minha vida não pode ser vivida só amanhã. As palavras não podem ser ditas só amanhã.

Hoje digo-te que gosto muito da energia que sinto desse teu lado.

Beijinhos

Brigitte disse...

Mas amanhã é feriado e depois de amanhã também....temos é que os aproveitar como se não houvesse o dia seguinte!!!

Diverte-te
:)

ianita disse...

Brigitte: Temos de aproveitar todos os dias... mas havendo dia seguinte :)

Beijos e bons feriados!
(vens cá?)

Lita disse...

Gostei do texto. No fundo, é o hoje que temos. Amanhã pode não existir. Na pratica, existe este momento. Não significa que não pensemos no amanhã, mas o momento da acção é o agora.

Há dois episódios da Anatomia de Grey que focam exactamente este tema. São divinais.

Luisa Moreira disse...

Oh! minha linda, que bem que tu exprimes os teus sentimentos.........Vive, mas não deixes de pensar no amanhã porque se lá chegares, ao menos chega em condições!!
Quero eu dizer, não devemos ser extremistas em nada na vida, tudo com moderação.........
Beijocas........

ianita disse...

Lita: o amanhã será um outro hoje... mais longínquo, mas um hoje.

Amanhã não podemos fazer nada, podemos hoje. Eu faço hoje, pensando no amanhã.

Os episódios da Anatomia são tão certos que arrepiam...

Beijo

ianita disse...

Luísa: para mim Hoje condensa em si o ontem e o amanhã.

Vivo hoje, sabendo quem fui, fazendo uso dos ensinamentos que tive.

Vivo hoje, olhos postos no futuro que quero para mim.

Vivo hoje.

Nem cigarra nem formiga. Um carpe diem como o dos clássicos e não aquele deturpado de quem o evoca nos dias de hoje. Os clássicos viviam o carpe diem em aurea mediocritas. Com a sábia mediania de que falas. Com a sabedoria do passado e a certeza do futuro.

Um hoje abrangente.

E é como disse... tomo os meus comprimidos, faço a minha dieta, faço exercício... não pelo prazer que me dá, que não dá nenhum, mas pela possibilidade de me darem um amanhã melhor.

Beijos e Obrigada.

Brigitte disse...

Não, vou ficar por aqui.
Infelizmente vou cada vez menos aí!
Há pessoas e conversas que não merecem a pena!!!

Diverte-te
:)

ianita disse...

Brigitte: entendo-te bem! :)

Beijinhos e diverte-te

(aqui a je vem trabalhar 6ªfeira... snif! snif!)

Joni disse...

Olá!Nada mais certo; porque baseado na experiência " não guardes pra amanhã o que podes fazer hoje"

Neste texto introspectivo; sobre o passado: serve de aprendizagem e como forma de não cometermos os mesmo erros.na minha experiência de vida, talvez a única coisa que tenho a certeza é; "só colhemos o que semeamos" é a ordem natural das coisas.
Um certo filosofo disse: a maior parte do tempo estamos no passado, ou no futuro, esquecendo de viver o momento presente, que é o que realmente existe.

Gostei muito de ler "amo-vos a todos" compromisso dificil, porque geralmente "os outros" não correspondem às nossa expectativas na totalidade. o que não deixa de ser natural. besito

izzie disse...

Gostei, gostei simplesmente.
Pois só há o hoje, o agora. O resto são sonhos e pressupostos.
Obrigada por este texto.

Beijo,

ianita disse...

Joni: ninguém disse que teria de ser fácil... porque se queremos empurrar as coisas para o amanhã é porque não nos apetece fazê-las hoje, certo?

Temos de distinguir o que é importante, o que queremos que seja o nosso amanhã e pôr mãos à obra.

Eu não quero estar sozinha, ser sozinha. Quero poder contar com as minhas pessoas, por isso, tenho de hoje cuidar muito bem delas.

Kisses

ianita disse...

Izzie: sonhos e pressupostos que vivem hoje!

Sempre!

Hoje é o momento, mas de olhos postos no amanhã! Sempre!

Porque o hoje que vives já foi uma amanhã longínquo. Não te lembras? Quando olhavas para um dia como o de hoje e pensavas "falta tanto tempo!!!". Pois o tempo acabou, e agora? Agora o que querias ter hoje não tens... as pessoas que querias não estão... a vida que querias não a vives. E olhas para trás e pensas "Caramba que podia ter feito mais!".

Pelo menos que sirva para que os próximos amanhãs sejam diferentes deste.

Eu o que menos quero na vida é arrependimentos. Principalmente arrependimentos de coisas que não fiz ou disse. Hoje digo e faço, para que amanhã seja um dia de no regrets. Para que o amanhã seja um dia de olhar para trás de sorriso no rosto.

A cada dia um novo começo. Olhos postos no futuro, sempre!

Kisses

Vera Angélico disse...

Estive a rever o meu blog, porque queria chegar a um filme que vi há uns tempos, do qual nem sequer me lembro do nome. Mas que me marcou tanto. Na sua simplicidade, a mensagem era esta: "aceita o bem". E esta é das frases que mais identifico contigo. E com isto que li de ti, agora. E espero não estar a distorcer a mensagem...

Na tua intensidade, tens este dom. De aceitar o bem que a vida te dá. E de o assumires. Assumires que há um lado positivo, mesmo naqueles dias cinza escuro. Assumires que há determinados momentos no meio do caos que fazem a diferença. Assumires, e aceitares que o importante é de facto aquilo que fazemos: viver!

Tens sido um exemplo. Um refúgio. Sem surpresas. Como digo tantas vezez, admiro-te os traços, a personalidade. Gosto do "mau feitio". Gosto de te conhecer. De te ver. De me identificar contigo. De me sentir bem contigo. E felizmente, tenho a honra e o privilégio de aqui estar. Onde estou... (if you know what i mean...)!

Beijos.

ianita disse...

Vera: Caramba que tu escreves bem!!

Acho que terias gostado de conhecer a minha avó. Mesmo. Aquela que, era eu adolescente, me dizia um sábio "porta-te mal porque portar bem não tem piada nenhuma" :)

Eu vejo o Tempo como o Campos o vê na Ode Triunfal. O Presente como momento único que condensa em si todo o Tempo, todo o Passado e todo o Futuro.

Claro que não podemos fazer tudo agora... claro que há decisões que vamos adiando. Claro. Mas... há-de chegar o Hoje em que será inevitável tomá-las...

Acho que chegaste mesmo ao que eu queria dizer... viver o dia. Aproveitar. Sentir tudo o que nos rodeia. Viver. Mas, olhos postos no Futuro.

Perspectiva, entendes? Não podemos esquecer o que fomos nem o que queremos ser ou o hoje perde todo o sentido. Consigo ver laivos de cor-de-rosa nos dias mais escuros precisamente porque sei que já tive dias semelhantes e os ultrapassei e sei que quero ter dias bons amanhã, por isso... :)

A minha única certeza na vida é que quero viver. E não só este hoje. Todos os hojes que me forem possíveis! Todos!! E por isso a dieta... e por isso a treta do exercício... e por isso os comprimidos em jejum que me dão vómitos... porque quero muitos hojes.

Obrigada. Obrigada. Obrigada. Restituíste a minha fé nas pessoas... na mudança... na amizade. Obrigada.

Beijos

Zabour disse...

Sim, querida, o tempo é definitivamente, HOJE...

Beijinhos

ianita disse...

Zabour: nem ontem nem amanhã... HOJE!

Beijo!

Rice Man disse...

:) "De que me vai adiantar chegar aos 60 anos e não ter qualidade de vida porque aos 30 não quis fazer dieta, porque "quando lá chegar logo se vê"."

Há um episódio do "How I Met Your Mother" que retrata isso muito bem. Eis um excerto:

"Marshall: So, when Lily and I get married, who's gonna get the apartment?

Ted: Oh, that's a tough one. You know who I think could handle a problem like that?

Marshall: Who?

Ted: Future Ted and Future Marshall.

Marshall: Totally. Let's let those guys handle it.
"

Claro que depois aquilo deu barraca! :D O 'Eu' futuro é indissociável do 'Eu' presente e do 'Eu' passado. Já não posso mudar o 'Eu' passado mas posso escolher o 'Eu' futuro, sendo que já o sou neste momento, cortesia do 'Eu' passado.

Mas não vou acrescentar mais nada porque acho que já disseram e disseste tudo nos comentários. :)

ianita disse...

Rice: esse excerto é excelente!!! É isso que fazemos sempre... adiar... protelar... pensando que amanhã é que é dia...

Dizia-te há pouco que temos de deixar de contar só com a fruta das árvores de que ninguém cuida. Podemos aproveitá-los, mas temos também de semear qualquer coisa... a vida dá-nos coisas... de si... porque sim... sem as pedirmos. Devemos aproveitar o que a vida nos dá, como aproveitamos a fruta da árvore... mas não podemos viver apenas disso... temos de construir abrigos... e semear mais umas coisitas... para dar outro sabor à vida. :)

Obrigada pelo excerto que é perfeito e obrigada por me fazeres pensar.

Kisses

lilipat2008 disse...

Há pouco, ainda no trabalho, dei uma olhadela ao teu post assim num rápido e, o pouco que apreendi, fez-me fazer um telefonema que adiava há algum tempo...agora já está feito e estou mais tranquila...obrigada :)

bjitos

ianita disse...

Lilipat: se tinha de ser... :)

Claro que não se aplica às coisas pequeninas do dia-a-dia, mas aplica-se principalmente aos sentimentos e aos sonhos.

Beijinhos e espero que corra tudo bem :)

Isandes disse...

muito bem pensado e verbalizado. (tb gosto de ti, à minha maneira; tá dito!) *

ianita disse...

Isandes: pois obrigada... são muitos meses já, parecendo que não... obrigada e, à minha maneira, retribuo.

Beijinhos