7 de fevereiro de 2010

Que rico 31! :)

Hoje tenho pena da promessa que fiz. Não foi bem uma promessa, eu sei. Foi um compromisso. Na altura achei bem, mas hoje queria que pudesses abrir uma prenda minha. Queria que tivesse chegado qualquer coisa com o correio na 6ªfeira. Não chegou.

Hoje queria poder estar aí. Hoje queria as coisas todas que vão acontecer já na próxima semana, eu sei, mas eu queria hoje.

Não podemos ter tudo o que queremos. Ou quando queremos. Ainda bem que, ainda assim, podemos ir concretizando algumas coisas. Os encontros. As escapadelas. As partilhas. Os sorrisos. As discussões. As poucas vezes em que concordamos em alguma coisa.

Uma amizade, com a força da nossa, não se explica. Não há uma lista de coisas que possa enumerar. Porque por mais que enumere, por mais coisas que diga, as palavras nunca vão ser suficientes para descrever tudo. Omnia. Todas as coisas. Tudo o que se diz peca por escasso. Dizem-se as linhas, mas ficam as entrelinhas por dizer. Fica a cumplicidade, que não se explica. Fica o sentimento. Fica o respeito. Fica a amizade. Acima de todas as coisas. Ou acima de quase todas as coisas. Temos a este respeito a mesma opinião, facto raro! Um amigo é para os bons e para os maus momentos, mas sempre com respeito. Respeito pelos sentimentos do outro. Respeito pela vida do outro.

O que te desejo são aquelas coisas banais que se desejam a toda a gente. Saúde. Trabalho. Amor. Sorte. Vida. Mas que mais te posso desejar, se não estas coisas banais, mas que tantas vezes nos escapam por entre os dedos, tornando-se quase inalcançáveis? Desejo para ti o mesmo que desejo para mim. E desejo que possamos continuar lado-a-lado a partilhar todo o bom e todo o mau. E desejo que haja sempre possibilidades de eu rumar a Sul e de tu rumares a Norte. E desejo que haja sempre uma estrelinha da sorte no teu caminho. E desejo tudo e ainda mais um bocadinho.

Desejo-te um abraço apertado dos que amas. Desejo-te risos e gargalhadas. Desejo-te partilhas. Omnia.

Que tenhas um dia feliz. E que seja um entre muitos. Entre milhares de milhões de dias felizes. E à falta de prendinhas, surpresas ou presenças, fica o meu abraço, virtual é certo, mas não menos sentido. Parabéns! És o 31 mais jeitoso que conheço ;)

Omnia vincit Amicitia.

5 comentários:

Lita disse...

Que texto magnífico! O engraçado é que poderia pagar nele e aplicá-lo na íntegra à minha querida amiga, que habita o Sul, em quem confio as minhas maiores mágoas e as maiores gargalhadas também.

Porque a amizade é isso. É partilhar com respeito. O que vier. O que passar. É partilhar o vazio, quando é preciso, o nada. Continuar a conversa de há 6 meses atrás, como se o tempo não tivesse passado.

Muitos parabéns à pessoa a quem dedicas este texto. Por tudo.

Sayuri disse...

Parabéns à amiga!
31 é um belo número! :)

Bebedores do Gondufo disse...

Good.

Rony disse...

Tu excedes-te sempre! Obrigada pelas tuas palavras, eu sei que são sentidas e por isso valem ouro, o vento não as leva...

O que conta não é o dia em sim, mas a partilha, vai ser muito bom irmos as duas às compras, escolher a tua prenda para mim, para a minha casinha, que está sempre de braços abertos para te receber :)

Obrigada à Lita e à Sayuri.

Gostei muito de fazer 30, é um número redondo, bonito, 31 está a ser mais difícil, lol, mas é apenas uma questão psicológica, a verdade é que aos 31 estou finalmente onde sempre quis estar :)

Ianita, é um prazer e uma honra ser tua amiga, beijo.

Vera Angélico disse...

Ainda que com algum atraso, não queria deixar de te deixar um beijinho de Parabéns, Rony.

(ianita, desculpa a utilização abusiva do teu espaço. Beijos.)