31 de março de 2010

Engrenagem

Fazemos parte da engrenagem. Todo o Mundo é uma máquina. Uma engrenagem. E nós fazemos parte. Somos mais uma peça. Uma daquelas peças bem pequenas e insignificantes. Daquelas que ninguém sabe para que servem. Até que falham. Um dia desaparecem para sempre e de repente a engrenagem não funciona.

E nesse dia, em vez de perguntarem por aquela peça pequenina e que sempre fez o seu papel tão bem, em vez de tentarem saber dela, gritam. Gritam porque não está a cumprir a sua função e está a prejudicar a engrenagem.

Ou, nem dão conta que a peça não está lá.

Não sei o que será pior. Viver uma vida a ser apenas mais uma peça na engrenagem e ver que só sentem a nossa falta quando não estamos, se ser uma daquelas peças que sobram quando estamos a montar qualquer coisa e nunca sentirem a nossa falta.



All this frustration
I can't meet all my desires
Strange conversation
Self control has just expired
All an illusion
Only in my head you don't exist
Who re you foolin'
Don't need a shrink but an exorcist

(...)

I'm living in the weeds where nothing is the way it seems
Where no one is who they need to be
Where nothing seems that real to me
'Bout time we filled our lives
Upon the walls of gold no solid ground
The world is spinnin' endlessly
We're clinging to our own beliefs
Born of frustration
Born of frustration

2 comentários:

Inês disse...

Ai menina Super... Somos aquilo que lutamos por ser... Bem Hajas

ianita disse...

Inês: espero que sim :)

Beijinhos