23 de janeiro de 2010

Simples

É impressionante como uma pequena coisa para nós pode fazer uma grande diferença na vida de outra pessoa.

Hoje tinha explicações. Matemática. Depois de a miúda ir embora pensei em vestir o pijama e ficar no sofá a ver filmes. Dormitar. Ler um livro. The usual. Entretanto não chovia. Nem fazia assim tanto frio e lembrei-me de perguntar à minha mãe se me ia pagar o lanche a qualquer lado. Tão simples. Em vez de ficar no sofá levei a minha mãe a lanchar fora e ela ficou super feliz. Tão feliz que me chateei comigo mesma por não fazer isto mais vezes.

Claro que ela aproveitou para ir ao centro comercial comprar uma planta para uma amiga que fez anos esta semana. Lá fui eu com ela. Encontrámos uma senhora do Bairro da Cimpor, conhecida da minha mãe há décadas. A conversa de circunstância de sempre. A minha mãe a dizer que eu era filha dela. A senhora a dizer que eu era muito bonita. Perguntou se eu era solteira e, quando eu disse que sim, não levei com o ar reprovador, mas com uma palmadinha nas costas e um "é assim mesmo. Não caias na esparrela". LOL

A minha mãe lá me contou depois que a senhora (já com uns 70 e muitos anos) era viúva de um senhor que era muito mau para ela e para os filhos. E que os filhos nunca tinham casado. E assim soube que aquelas palavras foram genuínas.

E fomos lanchar à Batalha e voltámos para casa. Não sem antes passar em casa da amiga e entregar a planta. Claro que na aldeia, e entre os meus pais e os seus conhecidos e amigos ainda é muito assim, não se dá nada sem se receber qualquer coisa. A minha mãe costuma dizer que dá um pinto e recebe um peru. LOL Lá foi entregar a planta e trouxe um saco cheio de laranjas. Nham nham! (as cá de casa são azedas como o meu irmão gosta e eu detesto!).

Hora e meia depois estávamos em casa. Hora e meia do meu tempo deixou a minha mãe com um sorriso nos lábios. Tão simples, não é?

Cheguei ainda a tempo de vestir o pijama, ver que não dava nada de jeito na tv e pôr um dvd que comprei com o jornal na semana passada. JUNO. Tive curiosidade de o ver quando saiu no cinema e sabia que iria gostar.

Simples. Com músicas muito bonitas. Com personagens simples. Com uma história simples. Sem moralismos. Só bonita. E simples.

Gostei. Muito. Agora... das duas uma... ou começo a ler a maravilha de literatura erótica que saiu esta semana com a Sábado, ou começo a ver a 5ª temporada de Friends (terminei de ver a 4ª hoje de manhã). Ainda não sei bem... Acho que vou ouvir esta musiquinha outra vez e já decido...






You're a part time lover and a full time friend
The monkey on you're back is the latest trend
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

I kiss you on the brain in the shadow of a train
I kiss you all starry eyed, my body's swinging from side to side
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

Here is the church and here is the steeple
We sure are cute for two ugly people
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

The pebbles forgive me, the trees forgive me
So why can't, you forgive me?
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

I will find my nitch in your car
With my mp3 DVD rumple-packed guitar
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu
Du du du du du du dudu du

Up up down down left right left right B A start
Just because we use cheats doesn't mean we're not smart
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

You are always trying to keep it real
I'm in love with how you feel
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

We both have shiny happy fits of rage
You want more fans, I want more stage
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

Don Quixote was a steel driving man
My name is Adam I'm your biggest fan
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

Squinched up your face and did a dance
You shook a little turd out of the bottom of your pants
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

4 comentários:

disse...

Olá!
Parabens pelo blogue, adorei a forma que escreves...
Realmente o pouco tempo que perdemos com alguem pode ser o tempo o suficiente para a outra pessoa..
Um sorriso, um olhar, um bom dia ou boa noite... uma companhia, um passeio... simples gestos que podem saber tão bem ao outro...

parabens pela atitude e mais uma vez pelo blogue.

see you!

LP disse...

O engraçado é que ainda ontem me lembrei de ouvir esta música, uma música que já fez tanto sentido...

Juno é muito bom filme! E o elenco está à altura! ;)

Beijinhos

Rony disse...

E que lanche... quando me contaste dos bolos fiquei cheia de água na boca!

ianita disse...

Zé: temos de parar de olhar tanto para o nosso umbigo, não é? :) Obrigada!

LP: um filme simples e bonito :)

Rony: nham nham!! :)